Inauguração de escola evidencia contrastes da educação em Araruama

Enquanto a moderna Escola Bilíngue Sueli Amaral, no Centro, se destaca por sua estrutura, população aponta abandono de unidades em bairros como Iguabinha, Fazendinha e Mutirão

1316

A Prefeitura de Araruama inaugurou a Escola Municipal Bilíngue Professora Sueli Amaral, no Centro, no dia 05 de fevereiro. Porém, são constantes as reclamações sobre as estruturas de outras unidades educacionais no município.

Os moradores apontam, com frequência nas redes sociais, o evidente contraste da estrutura moderna da escola bilíngue com a sensação de abandono trazidas pela falta de manutenção de unidades de ensino em bairros do município como Fazendinha, Iguabinha e Mutirão.

Na Escola Municipal Margarida Trindade de Deus, na Fazendinha, por exemplo, a pintura do lado de fora já está envelhecida. Da parte de dentro, o Portal RC24h recebeu um vídeo que mostra a mesa do refeitório cheia de pó, sem higienização.

Enquanto isso, imagens de dezembro mostram a Escola Municipal Celina Mesquita Pedrosa, em Iguabinha, com paredes descascando, muros com marcas de infiltração e trechos da estrutura caindo.

Segundo profissionais da educação, a unidade vai entrar em reformas e as crianças e os docentes irão ocupar o espaço da antiga Escola Bilíngue, no Centro de Araruama.

Os moradores questionam porque só agora, depois de dois anos de pandemia, a Prefeitura vai iniciar as obras e deslocar as crianças de Iguabinha para o Centro.

Ainda em Iguabinha, de acordo com servidores, a Creche Municipal Roberto Dória, inaugurada em 2020 e nunca utilizada por alunos, está com o forro de algumas salas caído, cupins nas portas, drywall mofada e constantemente sem água.

Uma fonte do Portal RC24h disse que não havia imagens da unidade, porque a direção teria fechado a passagem para parte de trás da creche para não haver denúncias.

No mesmo bairro, a creche Ilca Maria Duarte teria entrado em reforma depois do começo da volta às aulas e, por isso, as professoras e alunos terão que se amontoar na Roberto Dória.

Em outro bairro do município, no Mutirão, um vídeo do pátio coberto da Escola Municipal Sinval Pinto de Figueiredo mostra que lá é uma daqueles lugares onde “chove mais dentro do que fora”.

A reportagem pediu um posicionamento da Prefeitura de Araruama com relação as cinco unidades educacionais citadas, ao deslocamento das crianças de Iguabinha para o Centro e sobre como tem funcionado a manutenção das escolas no município.

Contudo, até o fechamento deste texto, o município não respondeu ao nosso contato.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui