Mulher encontrada morta no Canal do Itajuru teve o pescoço cortado, aponta laudo

Laudo foi liberado nesta quinta-feira (28); segundo a família, ela também teria sido estuprada

3362

Laudo da necropsia – liberado nesta quinta-feira (28) -, aponta que Gisele de Castro Vieira, de 49 anos, encontrada morta no Canal do Itajuru, em Cabo Frio, na segunda-feira (25), teve o pescoço cortado. Parentes afirmam que, além disso, ela também teria sido estuprada.

A vítima, que era natural de São Paulo, se mudou para Cabo Frio no ano passado, para morar com o marido. De acordo com uma familiar, a mulher era alcoólatra e usuária de drogas. Ela não estava desaparecida e tinha o hábito de beber e sair.

O caso comoveu o município e acendeu um alerta para o crescente número de violência contra a mulher na cidade. Dados do Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro (ISP/RJ) apontam que, até março, 32 mulheres foram estupradas em Cabo Frio.

Relembre o caso

O corpo de Gisele foi encontrado na manhã de segunda-feira (25), por volta das 6h30, no Canal Itajuru, no Portinho, em Cabo Frio. Conforme testemunhas, a vítima que estava só de biquíni e e foi localizada já sem vida boiando nas proximidades da Ponte Feliciano Sodré.

O Corpo de Bombeiros esteve no local e realizou remoção do cadáver para o Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exame de necropsia para identificar a causa da morte. O corpo foi liberado pelo filho, que veio do interior de São Paulo nesta quinta (28).

O enterro de Gisele será realizado nesta sexta(29), às 11h.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui