O Dia das Mães, comemorado sempre no segundo domingo de maio, está chegando e, em Cabo Frio, o comércio já se movimenta de acordo com o momento. Neste ano de 2022, com a queda nos índices da pandemia de Covid-19 e o atendimento presencial no comércio do município, os lojistas estão otimistas para as vendas, após dois anos de incertezas e “abre e fecha” dos estabelecimentos.

Considerada a segunda melhor época do ano, perdendo só para o Natal, em volume de negócios, neste dia das mães (8), os comerciantes cabo-frienses apostam num aumento de, pelo menos, 20% em relação aos dois anos anteriores, com a crise da pandemia. Os setores mais procurados para presentar deverão ser os de vestuário, perfumaria e bares e restaurantes.

“A data é o segundo Natal para o comércio, além de ser uma data afetiva. Minha expectativa é a melhor possível porque, pra mim, esse ano de 2022 é o recomeço pra maior parte do comércio”, disse o gerente de uma loja de roupas do calçadão da Rua Érico Coelho, Diógenes Mendonça Jr.

PRESENTES AFETIVOS

A “volta ao normal” é uma das principais características da data neste ano. Quem também está com as melhores expectativas para este fim de semana é Saliza, dona da Saliza Marfer Chocolatière. Em sua chocolateria, ela transforma o chocolate em bombons artísticos, pintados artesanalmente e utilizando manteiga de cacau colorida. Todos eles são feitos à mão, um por um, tornando-os ainda mais especiais.

Todos os chocolates são veganos, livres de leite, glúten e soja. Para a data comemorativa, Saliza venderá bombons de frutas vermelhas, disponíveis em caixas especiais de 4 e 9 unidades. As encomendas podem ser feitas pelo whatsapp, através do número (22) 99751-0142.

Saliza também estará na “Feira Mulheres em Movimento”, que acontecerá neste sábado (7) na Fonte do Itajuru, em Cabo Frio, a partir das 10h. Lá, ela e outras mulheres venderão seus produtos e, para os clientes, pode ser o local ideal para achar o presente especial.

A reportagem do Portal RC24h também conversou com alguns filhos para saber melhor como eles estão se programando para celebrar suas mães. Falando com duas jovens, o resultado foi que, com a menor preocupação com a pandemia, aumentou o desejo de estar em família, ou em casa ou em restaurantes.

Luiza Penalva é uma delas. Como sua mãe é vegana, não consome nada de origem animal ela conta que foi difícil achar um bom restaurante para a data. Por isso, preferiu por um almoço entre famílias, na casa de uma amiga, e uma cesta artesanal preparada com coisinhas que a mãe gosta.

Já Maria Clara Amaral tem um objetivo certo, levar a mãe para aproveitar a data fora de casa.

“Vou levar a minha mãe para almoçar, porque nada mais justo que deixar ela livre da cozinha e levar para um lugar que ela gosta muito”, disse Maria Clara Amaral.

Inclusive, muitos restaurantes da cidade apostam em promoções relativas ao Dia das Mães para o domingo (8). Como o Village Restaurante, por exemplo, que fica no bairro Vila Nova. Lá, a promoção é de 15% de desconto se o pagamento for em dinheiro ou pix e a cortesia é um copo de suco de abacaxi.

CENÁRIO NACIONAL

Uma pesquisa inédita da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas mostra que 79% dos brasileiros pretendem comprar, pelo menos, um presente no Dia das Mães. A expectativa é de um crescimento de 50% nas vendas, com relação ao ano passado, mas os preços podem assustar os clientes. Quase 30% dos entrevistados afirmaram que vão gastar menos porque o orçamento está apertado.

Para 80% dos entrevistados, os presentes para as mães estão mais caros este ano. De acordo com a pesquisa, o consumidor pretende desembolsar, em média, R$ 220. E, por isso, pesquisar os preços virou regra para 81%.

A pesquisa mostra, ainda, um número preocupante. Cerca de 24% dos entrevistados admitiram que costumam gastar mais do que podem com as compras para esta datas, sendo que 37% já estão com contas atrasadas e 11% reconhecem que podem deixar de pagar alguma delas para garantir o presente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui