#15MINUTOSNORC/ Confira a entrevista exclusiva com o novo dono do Cabofolia, o empresário Sérgio Ribeiro

Sob novo comando, o evento conta com uma super estrutura e atrações como Ludmilla, Tuca Fernandes e É o Tchan

1088

Depois de 7 anos sem acontecer, o Cabofolia está de volta a Cabo Frio, trazendo alegria aos foliões e fãs do evento. Considerada a 5ª maior micareta do Brasil, o evento está de cara nova e o Portal RC24h foi conhecer o empresário por trás dessa retomada. Batemos um papo exclusivo com Sérgio Ribeiro, da Excess Produções, experiente do ramo do showbiz, que adquiriu a marca “Cabofolia”.

O Carnaval fora de época mais aguardado do estado, volta com força total, em novo formato, com uma grande estrutura, palco 360º, centralizado, possibilitando que o show do palco principal possa ser visto pelo público de todos os locais do evento. E mais, o palco vai estar “ancorado” no trio elétrico, quando o trio rodar, o som do palco vai acompanhando. “Ou seja, ninguém vai ficar segregado, todo mundo vai ver os shows”, destacou Sérgio.

A festa acontece nos dias 21, 22 e 23 de abril, no Espaço de Eventos de Cabo Frio, e começa com Léo Santana e Harmonia do Samba no trio, e Ludmilla no palco. No segundo dia, 22 de abril, será a vez de Bell Marques e Dennis DJ no trio elétrico e quem comanda o palco é a banda Parangolé. Com a missão de encerrar a folia, Durval Lélis e Tuca Fernandes entram em ação no trio elétrico, e o grupo É o Tchan que agita os foliões no palco. O trio elétrico, inclusive, é um show a parte, vindo diretamente da Bahia, será um diferencial na festa.

Além da mega estrutura, tudo está sendo pensado para trazer uma experiência única ao público. Sérgio garantiu que o esquema de segurança será reforçado com o apoio da Polícia Militar e do Governo do Estado. O esquema de estacionamento também está sendo preparado para que o folião não se preocupe.

Questionado sobre as polêmicas que cercam o evento, o empresário garantiu que está vindo para fazer diferente. “É um filho renascendo, algo maior do que era e que deixe uma história legal para a cidade”, disse Sérgio que, apesar das críticas, pretende começar uma nova história com o novo Cabofolia.

E o diferencial já começa antes mesmo da festa. Para a montagem do evento, foram contratados músicos que ficaram sem trabalho durante a pandemia e uma associação de costureiras da cidade terá um espaço reservado para a customização de abadás, gerando renda aos moradores. Após o evento, o projeto “Minha Banda na Folia” vai preparar artistas locais para grandes apresentações, valorizando o talento local.

A produção do evento pretende ainda fomentar o turismo e deixar um legado positivo na cidade. Entre as ações que serão realizadas com esse propósito, estão a destinação de 30% das vagas de empregos diretos para participantes do programa Jovem Aprendiz e também parceria com a Associação de Catadores da cidade para garantir que parte do lixo produzido seja destinado corretamente para a reciclagem.

“A gente veio pra isso, pra trazer um conceito diferente. Foram dois anos sem fazer evento e sete anos sem Cabofolia”

E apesar de algumas críticas, a adesão do público é certa. Para se ter ideia, tem ingresso vendido no Pará, no Rio Grande do Sul, Minas Gerais ‘em peso’, entre outros. “Queremos trazer o pessoal que vinha antigamente e os que têm essa curiosidade de agora”, completou Ribeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui