Início Saúde Secretário de Saúde do Rio cogita restringir turismo

Secretário de Saúde do Rio cogita restringir turismo

Diante da alta de internações por covid-19 no Estado do Rio, o secretário de Saúde, Carlos Alberto Chaves, levantou a possibilidade de restringir o turismo no Estado. Ele disse que a ideia ainda será debatida por sua equipe e pode ser levada à reunião na sexta-feira com o governador interino Cláudio Castro. "Eu vejo as praias cheias de turistas. É hora de turismo aqui? É hora de samba na praia?", comentou. 
As declarações foram feitas em coletiva de imprensa na Secretaria Estadual de Saúde, no Centro do Rio, sobre a interdição do Hospital Estadual Eduardo Rabello, em Senador Vasconcelos, para obras.

Chaves ressaltou que as medidas serão discutidas com a equipe de vigilância sanitária de acordo com o mapa epidemiológico que é lançado toda sexta-feira "Dependendo das condições, isso será colocado tecnicamente. Eu abri leitos hoje, pode ser que caia (a taxa de ocupação)", ponderou.
A subsecretária de Vigilância em Saúde de Secretaria, Claudia Mello, atribui o aumento de casos no Estado do Rio ao Carnaval. A taxa de ocupação de UTI por covid no Estado está em 70,5%, de acordo com o último boletim divulgado às 17h de terça-feira. A ocupação de enfermaria é de 52,0%. Na última sexta-feira (5), o índice estava em 68% para leitos de UTI e em 46% para leitos de enfermaria.

Novos leitos
O secretário estadual de Saúde do Rio, Carlos Alberto Chaves, anunciou nesta quarta-feira a abertura de 93 leitos no Estado.

São 40 vagas de CTI, no Hospital Municipal Che Guevara, em Maricá; 20 leitos no Hospital Municipal Oceânico de Niterói, sendo 10 de enfermaria e 10 de CTI; e outros 33 leitos de CTI no Hospital Zilda Arns, em Volta Redonda, este último com previsão de abertura na próxima segunda-feira. Dos 33 novos leitos de UTI abertos no Zilda Arns, 19 correspondem a leitos de enfermaria da unidade transformados em CTI.

Reportagem de O Dia, mostrou ontem que no momento em que cresce a taxa de ocupação dos leitos operacionais de covid-19 na cidade do Rio, a Rede SUS contabiliza 93 leitos de UTI e 313 de enfermaria impedidos de receber pacientes para o tratamento de covid-19 na Região Metropolitana.

O secretário Carlos Alberto Chaves disse que não vai abrir hospital de campanha.

"Não quero ser o quinto ou sexto secretário de Saúde na cadeia", comentou.

Para abrir novas vagas de CTI, o secretário também disse que pretende regular os 74 leitos utilizados para atender pacientes de Manaus e Rondônia.
Hospital Eduardo Rabello interditado

Chaves disse que o Hospital Eduardo Rabello, que será interditado para obras, era subutilizado, com apenas 13 leitos ativos e mais de 800 funcionários.

Todos os profissionais serão realocados e ninguém será demitido, garantiu Chaves.

Confira a relação de funcionários do Hospital Estadual Eduardo rabello:

Estatuários: 800 funcionários – R$ 1.819.300,36/mês

Fundação Saúde – 86 funcionários – R$ 228 785,89/ mês

Vacinação
O Governo do Estado do Rio recebeu ontem 261.800 doses de Coronavac. Metade da carga será reservada para aplicação da segunda dose. As doses são distribuídas entre esta quarta-feira e quinta-feira aos 92 municípios. Rio de Janeiro, Maricá, Niterói e São Gonçalo devem receber nesta quarta. Helicópteros distribuirão as demais doses na quinta-feira, de helicóptero. O secretário espera receber um novo lote na próxima terça-feira.

VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -

Mais Lidas

Skip to content