Região dos Lagos tem aumento no número de homicídios no 1º trimestre de 2022

Entre janeiro e março, foram registrados 57 homicídios; dois a mais do que o mesmo período no ano passado

1017

No primeiro trimestre deste ano, a Região dos Lagos apresentou aumento no número de homicídios dolosos, quando há intenção de matar, em comparação a 2021. Entre janeiro e março de 2022 foram 57 vítimas, sendo duas mortes a mais registradas do que no ano anterior, nas cidades abrangidas pelo 25º Batalhão de Polícia Militar (25º BPM): Araruama, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia e Saquarema.

Entre os sete municípios, o que apresentou maior número nas mortes foi Cabo Frio, com oito ocorrências de homicídio registradas no 1º trimestre de 2022, contra cinco no ano passado. Em seguida, Búzios com três, sendo apenas um em 2021; Araruama com duas mortes e Arraial do Cabo com uma, sendo que no mesmo período do ano passado, as duas cidades não tiveram registros. Em contrapartida, Iguaba Grande (0), São Pedro da Aldeia (0) e Saquarema (1) apresentaram redução no índice.

Confira os números de homicídios dolosos por cidade:

AraruamaArmação dos BúziosArraial Do CaboCabo FrioIguaba GrandeSão Pedro
da Aldeia
Saquarema
Jan/214147164
Jan/2261013001
Fev/212018022
Fev/223106014
Mar/210105124
Mar/222318001
Fonte: ISP/RJ

O índice de mortes por intervenção policial no mesmo período também teve aumento. Entre janeiro e março de 2021, foram registrados dez óbitos durante confrontos, já em 2022, o número subiu para 11.

Confira abaixo:

AraruamaArmação dos BúziosArraial do CaboCabo FrioIguaba GrandeSão Pedro
da Aldeia
Saquarema
Jan/211001001
Jan/222101000
Fev/210011010
Fev/220001000
Mar/210021010
Mar/221101030
Fonte: ISP/RJ

ÍNDICES EM DIREÇÃO OPOSTA NO ESTADO

No primeiro trimestre deste ano, o Estado do Rio de Janeiro apresentou os menores números de homicídio doloso dos últimos 31 anos. Entre janeiro e março de 2022 foram 760 vítimas, representando uma diminuição de 18% quando comparado com o mesmo período do ano passado. O indicador também registrou queda no mês de março, de 18%.

Outros crimes contra a vida também tiveram reduções expressivas no primeiro trimestre, como o roubo seguido de morte (latrocínio). O indicador caiu mais da metade em três meses no estado – foram 14 vítimas em 2022, contra 32 em 2021. Esse também foi o menor valor para o período desde 1991. A letalidade violenta – que inclui homicídio doloso, lesão corporal seguida de morte, roubo seguido de morte e morte por intervenção de agente do estado – recuou 23%, também o menor valor para os três meses desde 1991. Já as mortes por intervenção de agente do estado apresentaram diminuição de 30% no período.

Principais indicadores:

▪ Homicídio doloso: 760 vítimas nos três primeiros meses do ano de 2022 e 256 em março – este foi o menor valor para o trimestre e para o mês desde 1991. Na comparação com 2021, o indicador registrou redução de 18% em relação ao acumulado do ano e também em relação ao mês.

▪ Letalidade violenta (homicídio doloso, roubo seguido de morte, lesão corporal seguida de morte e morte por intervenção de agente do estado): 1.099 vítimas nos três primeiros meses do ano de 2022 e 386 em março – estes foram os menores valores para o mês e para o acumulado desde 1991. Na comparação com 2021, o indicador registrou redução de 23% em relação ao acumulado do ano e de 21% em relação ao mês.

▪ Morte por intervenção de agente do estado: 318 mortes nos três primeiros meses do ano de 2022 e 123 em março. Na comparação com 2021, o indicador registrou redução de 30% em relação ao acumulado do ano e de 22% em relação ao mês.

Os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) são referentes aos registros de ocorrência lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro no mês de março. Para mais informações sobre os indicadores, acesse o site do ISP.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui