InícioDestaqueRafael Portugal tem prejuízo milionário no esquema do 'Faraó dos Bitcoins'

Rafael Portugal tem prejuízo milionário no esquema do ‘Faraó dos Bitcoins’

Humorista e a esposa foram vítimas de empresa que dizia fazer investimento em criptomoeda, mas, na verdade, fazia um esquema de pirâmide, segundo Leo Dias

O ator Rafael Portugal e sua esposa, Vanelli Portugal, foram vítimas do caso conhecido como Faraó dos Bitcoins, segundo o colunista Leo Dias, do site Metrópoles. A informação foi compartilhada pelo jornal Meia Hora.

O casal investiu mais de R$ 1 milhão na empresa GAS Consultoria Bitcoin, que dizia fazer investimento na criptomoeda, mas, na verdade, fazia um esquema de pirâmide, descoberto pela Operação Kryptus da Polícia Federal.

No total, entre agosto de 2020 e março de 2021, o casal investiu mais de R$ 1,2 milhão na empresa, em valores atualizados. Os contratos possuíam cláusula que garantia o repasse de 10% do lucro ao casal mensalmente, segundo o colunista.

O humorista e sua esposa entraram na Justiça contra a empresa situada em Cabo Frio, na Região dos Lagos, a fim de receber o valor investido de volta.

Prints, que foram incluídos no processo judicial, mostram que Vanelli fala com um funcionário da empresa por WhatsApp em setembro de 2021. Ela solicita a devolução do dinheiro investido, mas a pessoa diz que a empresa estaria “tentando desbloquear pelo menos parte dos 38 bilhões em juízo para quitar todos os contratos”.

No processo, o casal pede urgência na devolução do investimento.

Entenda o caso Faraó dos Bitcoins

Rafael e Vanelli Portugal não foram as únicos vítimas a cair no golpe. De acordo com inquérito da Polícia Federal, por meio da Operação Kryptos, que prendeu Glaidson Acácio dos Santos, ex-garçom conhecido em Cabo Frio como “Rei dos Bitcoins”, por montar o esquema de pirâmide envolvendo criptomoeadas.

Com o apoio do Ministério Público Federal (MPF) e da Receita Federal, desde o dia 25 de agosto, o esquema começou a ser desmontado.

As investigações sobre Glaidson e seus cúmplices começaram no dia 28 de abril, quando agentes da Polícia Federal apreenderam R$ 7 milhões dentro de um helicóptero em Armação dos Búzios com destino a São Paulo.

O dinheiro estava dentro da aeronave com Glaidson e a venezuelana Mirelis Yoseline Diaz Zerpa, mulher e sócia dele, que fugiu para os Estados Unidos. O casal embarcava com três malas, onde o dinheiro foi encontrado.

Depois da prisão do ex-garçom, a PF descobriu cerca de R$ 15,3 milhões em dinheiro vivo. Ele teria movimentado, em seis anos, cerca de R$ 38 bilhões.

A polícia desvendou ainda que o preso é ex-pastor da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) e que fez inúmeras doações para a entidade religiosa.

Ainda segundo levantamento da Receita Federal, as transferências do acusado à Iurd foram de aproximadamente R$ 29 milhões entre 2018 e 2020. A igreja, porém, confirma ter recebido valores ainda mais altos, de R$ 72,3 milhões, entre 4 de maio de 2020 a 12 de julho de 2021.

Outras prisões

Além de Gladson, preso no dia 25 de agosto, outras pessoas foram presas no esquema como Michael Magno, de 30 anos, conhecido como Corretor dos Famosos por se declarar como “o empresário que vendia mansões para famosos”.

Michael é apontado como operador financeiro do esquema fraudulento.

Em 2019, com 28 anos, revelou a venda de imóvel de R$ 20 milhões. Entre seus clientes estão os atores como Bruno Gagliasso, Eri Johnson e Kadu Moliterno, as atrizes Nivea Stelmann, Rayanne Morais e Juliana Kieling, além da cantora Preta Gil e os jogadores de futebol, Nenê, Henrique Dourado e Giovanni Augusto.

VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content