InícioRegião dos LagosArmação dos BúziosPF prende correspondente bancário de Búzios acusado de fraude milionária contra a...

PF prende correspondente bancário de Búzios acusado de fraude milionária contra a Caixa

O homem, preso em Recife, é apontado por causar um prejuízo estimado em cerca de R$ 1,2 milhão

Na tarde desta quinta-feira (3), a Polícia Federal prendeu um correspondente bancário de Búzios envolvido em um esquema fraudulento contra a Caixa Econômica Federal e terceiros, na cidade do Recife, em Pernambuco.

Na ação, policiais federais cumpriram um mandado de prisão preventiva em desfavor do homem que já havia deixado o estado do Rio de Janeiro na tentativa de fugir da Justiça, mas foi localizado no Recife.

A ação é desdobramento das investigações que tiveram início em 2022, após uma notícia-crime ser apresentada por uma das vítimas e pela própria Caixa Econômica Federal. Na ocasião, o preso abriu 12 contas bancárias em nome de idosos, em sua maioria aposentados, sem o consentimento deles, atuando em conjunto com um gerente da agência da Caixa de Armação dos Búzios, que atualmente está foragido com ordem de prisão decretada. As contas foram criadas utilizando o documento de identidade das vítimas, além de comprovante de residência, e-mail e telefone com informações do preso para todas as contas.

Após a abertura das contas, o correspondente bancário realizou diversos empréstimos, transferiu os valores para sua conta pessoal, usou cartões de crédito e fez uso do cheque especial em nome das vítimas. Até o momento, as investigações indicam um prejuízo aproximado de R$1.200.000,00.

Para aumentar as linhas de crédito, o gerente da agência cadastrou rendas mensais fictícias, que variavam entre R$20.000,00 e R$90.000,00, ao cadastrar as vítimas como servidores públicos federais, ainda que não o fossem visto que suas rendas variavam entre um e cinco salários mínimos. O gerente foi demitido pela Caixa Econômica Federal após os fatos virem à tona.

Entre as vítimas, chamam a atenção os casos de uma diarista e um funcionário de condomínio residencial, cujas rendas mensais aproximadas eram de dois salários mínimos, mas foram cadastrados respectivamente com rendas de R$25.857,90 e R$88.987,25.

Destaca-se também a falta de proporcionalidade nas concessões, uma vez que clientes sem histórico de relacionamento com a Caixa receberam valores expressivos de limites de cheque especial (média de 70 mil e 80 mil reais), CDC e cartões de crédito, baseados na falsa comprovação de renda.

Os investigados responderão pelos crimes de estelionato previdenciário e peculato digital, além de outros delitos que possam surgir no decorrer da investigação. Somadas, as penas máximas dos crimes ultrapassam os 18 anos de reclusão.

Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Veiga de Almeida.

Já atuou como apresentadora na Jovem TV Notícias, em 2021. Escreve pelo Portal RC24h há três anos e atua, desde julho de 2022, como repórter do Jornal Razão, de Santa Catarina.

É autora publicada, com duas obras de romance e mais de 500 mil acessos nas plataformas digitais.

- Advertisement -
VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Mais Lidas

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -
- Advertisement -spot_img
Pular para o conteúdo