Onça-parda extinta há mais de um século é vista no litoral de Maricá

Armadilhas fotográficas no Refúgio de Vida Silvestre registraram a espécie, motivo de comemoração para pesquisadores e ambientalistas

323

A Prefeitura de Maricá, por meio da Secretaria de Cidade Sustentável, fez um registro raríssimo: uma onça-parda (Puma concolor) ou suçuarana caminhando pelo Refúgio de Vida Silvestre Municipal das Serras de Maricá (Revimar). A espécie era considerada extinta há mais de um século na área litorânea, onde foi flagrada por armadilhas fotográficas, motivo de comemoração entre os pesquisadores e ambientalistas. Segundo maior felino do Brasil, a suçuarana é menor apenas que a onça-pintada e, arredia, não se deixa flagrar com facilidade. Os registros são de setembro, novembro e dezembro de 2021.

“A presença destes predadores de topo de cadeia em nossas áreas protegidas é um bioindicador da qualidade das nossas florestas. Nosso município possui mais de 50% de seu território inserido em Unidades de Conservação e esse acostamento através do trabalho de monitoramento realizado pela Prefeitura de Maricá vem coroar nossas ações”, afirmou o secretário de Cidade Sustentável, Helter Ferreira.

Além da onça-parda, as armadilhas fotográficas instaladas pelo Revimar flagraram, em fevereiro de 2021, o gato-maracajá (Leopardus wiedii), um dos animais mais bonito da fauna brasileira. Esse felino selvagem, pouco maior que um gato doméstico, com manchas pretas como uma onça-pintada, também era considerado extinto na região costeira, seu antigo habitat.

Esses equipamentos de registro de movimento da fauna, diurno ou noturno, fazem parte de um projeto desenvolvido em Maricá e têm a importante missão de monitorar e identificar as espécies encontradas nas áreas protegidas. As informações captadas pelas câmeras do projeto são registradas numa base de dados sobre a Mata Atlântica, que será disponibilizada para pesquisas e projetos de conservação e meio ambiente.

O refúgio natural, onde a onça foi flagrada, fica localizado nas Unidades de Conservação da cidade – também compostas pela Área de Proteção Ambiental Municipal das Serras de Maricá, o Monumento Natural Municipal da Pedra de Inoã e o Monumento Natural Municipal da Pedra de Itaocaia. Só o Revimar tem nove mil hectares, mais do que o dobro do Parque Nacional da Tijuca, e se estende por 25% do território de Maricá – representa uma área maior do que municípios inteiros como Búzios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui