InícioRegião dos LagosCabo FrioMPRJ ajuíza ação para que Cabo Frio transfira ao Estado oferta de...

MPRJ ajuíza ação para que Cabo Frio transfira ao Estado oferta de educação no ensino médio

Município deve encerrar, gradualmente, o ensino médio e redirecionar orçamento para a manutenção e o desenvolvimento da educação infantil e do ensino fundamental

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) ajuizou ação civil pública para obrigar Cabo Frio a transferir para o Estado do Rio a oferta de ensino médio que atualmente está na rede municipal. O objetivo é fazer com que a cidade se adapte ao disposto na Constituição da República e na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

A ação, por meio da 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Cabo Frio e da 1ª Promotoria de Justiça de Infância e Juventude de Cabo Frio, requer que o município promova gradualmente o encerramento do ensino médio e redirecione a respectiva dotação orçamentária para a manutenção e o desenvolvimento da educação infantil e do ensino fundamental. Ao mesmo tempo, o MPRJ pede que o Estado seja obrigado a absorver todos os alunos originários da rede municipal de ensino que estejam aptos a cursar o ensino médio.

O artigo 211 da Constituição dispõe que os municípios atuarão prioritariamente no ensino fundamental e na educação infantil, enquanto a LDB, no art. 11, prevê que os municípios somente poderão ofertar ensino médio se e quando tiverem atendido integralmente à demanda de seus cidadãos por educação infantil e ensino fundamental.

Diante de tal cenário normativo, o MPRJ instaurou procedimento para investigar se o Município de Cabo Frio cumpria o seu dever de prestar serviços de educação infantil e ensino fundamental de forma universal (no caso de crianças e adolescentes entre 04 e 14 anos) ou ampla (no caso de crianças de 0 a 3 anos) e com qualidade. A ação ressalta que apenas 31,1% da população de 0 a 3 anos frequenta creche; enquanto na população de 4 e 5 anos o percentual é de 87,4% na creche ou pré-escola, também abaixo da meta. Destaca, ainda, que o município não oferece qualquer creche com berçário e apenas 166 vagas para crianças de 1 a 2 anos.

A petição inicial ressalta, ainda, que a quantidade de cabofrienses que não conclui o ensino fundamental é preocupante: o percentual de pessoas de 16 anos com pelo menos o Ensino Fundamental concluído é de 59%, enquanto a meta do PNE é de 95%. “Apesar desses lamentáveis indicadores, o Município de Cabo Frio permanece se escusando de estadualizar as turmas de ensino médio das escolas Rui Barbosa e Nilo Peçanha, mesmo sabendo que o Estado concorda com tal estadualização”, destaca trecho da ação.

Diante dos fatos, o MPRJ requer que o Município encerre a oferta de ensino médio na sua rede, e que o Estado absorva todos os alunos originários da rede municipal de ensino aptos para cursar o ensino médio. A ação pede que tal obrigação seja adotada gradativamente, no prazo de três anos, encerrando o 1º, o 2º e o 3º anos do ensino médio ao longo, respectivamente, dos anos de 2022, 2023 e 2024, sob pena de multa diária pessoal chefe do executivo.

Letycia Rocha
Pós-graduanda em Jornalismo Investigativo pela Universidade Anhembi Morumbi; Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Veiga de Almeida. Atuou como produtora/repórter na Lagos TV e Coordenadora de Programação na InterTV - Afiliada da Rede Globo. Editora no Blog Cutback e colaboradora no jornal O Dia. Vencedora do 3º Prêmio Prolagos de Jornalismo Ambiental, na categoria web.
VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content