Motoristas de táxi e micro-ônibus em Cabo Frio entram em atrito por turistas

Taxistas afirmam que microônibus estão burlando Código de Trânsito Brasileiro e acusam Prefeitura de prevaricação, enquanto motorista de microônibus diz que taxistas estão com implicância e município afirma que "não há irregularidades"

447

O conflito entre motoristas de táxi e de micro-ônibus pelo transporte de turistas em Cabo Frio ganhou mais um capítulo nesta quinta-feira (3).

O embate começou na semana passada com um protesto dos taxistas em frente ao Terminal de Ônibus de Turismo (TOT). Por conta do impasse, a Prefeitura mudou as regras para o transporte de turistas.

Com a portaria, assinada pelo secretário de Mobilidade Urbana, Jefferson Buitrago, a Prefeitura permitiu que, até 6 de março, o transporte de passageiros do TOT para os meios de hospedagem seja realizado por vans emplacadas no município.

Taxistas, no entanto, argumentam que indo contra um artigo do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), veículos sem placa vermelha estão fazendo o transporte de turistas.

Pelo CTB, todo veículo que faz o transporte remunerado de passageiros ou bens precisa de autorização do Detran, que usa a placa vermelha com letras e números brancos para identificá-los.

Nesse contexto, o secretário e fiscais responsáveis pela questão estariam prevaricando, segundo os taxistas.

O dono de um micro-ônibus no TOT entrou em contato com a reportagem e afirmou que, segue as regras da Prefeitura. O veículo, emplacado na cidade, está todo em dia e o motorista afirma ter todos o cursos para trabalhar na área.

Estamos nos trâmites para a mudança de placa vermelha. Enquanto isso não finaliza, a placa que está no micro é de Cabo Frio e estamos autorizados a trabalhar no TOT”, disse.

O motorista afirma ainda que os taxistas estão com implicância e querem tirar os micro-ônibus e vans do TOT de qualquer forma.

Em nota, a Prefeitura de Cabo Frio informou que a medida da portaria autoriza o fretamento específico, ponto a ponto, com lista e destinos pré-determinados.

A Prefeitura destaca ainda que a liberação de vans para fazer o transporte de passageiros do TOT para os meios de hospedagens, se deu depois do ocorrido no feriado do Réveillon, quando o número de táxis disponíveis não foi suficiente para atender a demanda. Com o fim do período do Carnaval, a autorização será suspensa”, esclareceu o município.

Sobre a alegação de taxistas sobre a questão do Código Brasileiro de Trânsito, a Prefeitura se limitou a dizer que “não há irregularidades”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui