MODA RC24h / PAOLA SIMÕES: Mimimi ou Racismo?

Clientes de famosa marca estão chocadas com 'jogada' de marketing. Deu o que falar nas redes sociais

656

Mais uma polêmica que o mundinho da moda traz pra gente refletir. A loja ´Reserva´, do Shopping Barra, em Salvador, expôs um manequim negro quebrando a vidraça da loja.

Essa ação deixou os clientes chocados. Logo, as redes sociais ferveram de comentários a respeito da tal vitrine com a mensagem racista.

Isso tudo rolou na segunda-feira (14). A interpretação coletiva foi a de que o manequim deu a impressão de estar arrombando a loja. Houve diversas reclamações à gerencia do shopping, todas relatando que a proposta da vitrine da loja foi totalmente de mal gosto e ofensiva.

Vale lembrar que, de alguns anos para cá, aumentaram os casos em que pessoas negras são hostilizadas por serem confundidas com marginais em lojas famosas, não só aqui, mas, em muitos outros países também. A coisa toda não fica só na esfera do preconceito, já chegaram ao ponto da violência física e morte. Não dá pra esquecer do que aconteceu com o Durval Teófilo Filho, ou vocês já se esqueceram? Dá um Google pra lembrar!

O maior questionamento foi o porquê a ´Reserva´ deixou passar um manequim negro, com camiseta listrada, quebrando o vidro da loja… como uma loja de “peso” autorizou o visual mershandising (vitrinista) levar a frente esse conceito, logo com um manequim negro. Conceito assalto? Por que negro? Por que não branco? Luciano Huck aprovou isso?

As más línguas afirmam que um funcionário da loja confirmou que o manequim foi posto propositalmente, para passar a ideia de um assaltante. É preciso mais critério ao se desenvolver a programação visual do seu comércio. A estratégia de marketing mal feita pode passar a mensagem errada ao cliente e acabar com seu negócio.

O uso do manequim negro não é algo corriqueiro, pouquíssimas lojas utilizam. Ao fazer essa inclusão, seu visual mershandising, ou equipe de marketing, passa a ter uma responsabilidade a mais. Inserir de forma natural e simples, com a ajuda de profissionais especializados, ou com experiência em diversidade é sempre a melhor opção. Também existe o recurso de consultoria, serviço esse que algumas Ongs já dispõem. 

A loja´Reserva´ informou, por meio de uma nota, que a vitrine que tem o título de “Loucuras pela Reserva”, nunca teve a intenção de ofender ou disseminar ideias racistas, pois a intenção foi divulgar a liquidação da marca. Afirmou repudiar o racismo em todas as suas formas de expressão, justificou que o manequim na cor negra é o mesmo manequim usado dentro da vitrine e terminou comunicando que seria desmanchada imediatamente. Os responsáveis pela administração do shopping apenas informaram que não iriam se manifestar sobre o caso. 

Muitos clientes e internautas promoveram o cancelamento  da marca ´Reserva´ de seus armários! Antes que eu me esqueça, o Shopping Bahia, também em Salvador, foi palco de um caso de racismo na loja ´Zara´ quando, no dia 28 de dezembro, um cliente alegou ter sido envergonhado por um segurança – que também era negro- pelo simples fato de sua cor da pele.

E você? O que acha dessa polêmica com a vitrine da ‘Reserva’? Mimimi ou racismo? Conta aí!

Paola Simões
Designer de Moda
Colunista de moda do Portal RC24h
Visual Merchandising e Programadora Digital da Ekkos/Ekkids e Ekkids Baby
Professora de Hatha Yoga
22 988517570
22 988103539
@aquelapaolasimoes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui