InícioRegião dos LagosAraruamaMilitar da Marinha atirou duas vezes ao matar esposa, diz MP

Militar da Marinha atirou duas vezes ao matar esposa, diz MP

Wânia e companheiro moravam em São Pedro da Aldeia. O crime aconteceu no final de junho e a vítima ficou internada por 15 dias até ter morte cerebral declarada

O Ministério Público do Rio denunciou o militar da Marinha Alexander Neves da Invenção, de 48 anos, pela morte da esposa, a bióloga Wania Lucia Firmiano da Silva, de 47. A vítima foi baleada em 24 de junho e teve morte cerebral declarada no domingo, após 15 dias internada no Hospital Estadual Roberto Chabo, em Araruama, na Região dos Lagos. Segundo testemunhas, dois disparos foram efetuados contra Wania, que ficou ferida na região abdominal, no tórax e na coluna. Alexander foi denunciado por feminicídio, praticado por motivo fútil e por ser cometido na frente do filho vítima, que é menor de idade. Além disso, segundo a 1ª Promotoria de Justiça de São Pedro da Aldeia, a arma utilizada pelo acusado não era legalizada.

O crime aconteceu na noite de sábado no apartamento no qual o casal vivia. Vizinhos do casal afirmam que Alexander chegou embriagado na residência. Wania tentou conter o marido, pedindo para que dormisse, mas ele não a obedeceu. Ela, então, pediu que o filho se trancasse no quarto, o que revoltou o militar.

Durante a discussão, Alexander sacou uma arma e atirou duas vezes contra a bióloga. Ela foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada em estado grave ao Pronto Socorro do Morro dos Milagres. Posteriormente, ela foi transferida para a unidade de saúde de Araruama, onde permaneceu até este domingo. Segundo a direção do hospital, Wania foi submetida a um tratamento cirúrgico de urgência assim que deu entrada e o estado de saúde era grave.

Alexander foi preso em flagrante e teve a prisão convertida em preventiva após audiência de custódia. Uma arma e um estojo de munições foram apreendidos.

‘Estrago na família’

Após a morte da bióloga, a Escola municipal Sebastião Loubach, em Rio das Ostras, lamentou a morte da professora, que lecionava Ciências na unidade. Parentes de Wania também se manifestaram:

“Nunca achamos que uma mulher de nossa família será vítima de um crime bárbaro de feminicídio, porém, infelizmente, aconteceu com minha irmã […]. Wania era professora de Biologia do município de Rio das Ostras e no final do ano se formaria em Nutrição, era tão amada por toda família, amigos(as) e alunos(as) e deixou um filho maravilhoso de apenas 12 anos”, diz trecho do relato do irmão da vítima.

Ainda segundo ele, Alexander atirou pelas costas de Wania, e o tiro “afetou seus órgãos vitais como: pulmões, rins, baço, estômago e sua coluna”. A morte da bióloga é definida pelo irmão como um “tamanho estrago” na família.

*Com informações do Extra.

MTb 0022570/MG | Coordenadora de Reportagem | Site do(a) autor(a)

Pós-graduada em Jornalismo Investigativo pela Universidade Anhembi Morumbi; e graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Veiga de Almeida.

Atuou como produtora/repórter na Lagos TV, Coordenadora de Programação na InterTV - Afiliada da Rede Globo, apresentadora na Rádio Costa do Sol FM e editora no Blog Cutback. É repórter no Portal RC24h desde 2016 e coordenadora de reportagem desde 2023, além de ser repórter colaboradora no jornal O Dia/Meia Hora. Também é criadora de conteúdo para a Web 3.0 na Hive.

Vencedora do 3º Prêmio Prolagos de Jornalismo Ambiental, na categoria web.

- Advertisement -
VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Mais Lidas

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -
- Advertisement -spot_img
Pular para o conteúdo