Mesa redonda discute combate à intolerância religiosa com alunos da rede municipal de Búzios

Todos os participantes discursaram sobre suas religiões, peculiaridades, filosofias, e mostraram aos estudantes, que independente de credo, as religiões têm pontos em comum como amor e respeito

220

A Prefeitura de Búzios, com a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia e do setor de Programas e Projetos e a supervisão de Pluralidade Cultural, promoveu na noite de quarta-feira (6), a “Mesa Redonda em Combate à Intolerância Religiosa”. O evento aconteceu na Escola Municipal Nicomedes Theotônio Vieira, e contou com a presença de estudantes da própria Unidade Escolar, além do Inefi e Paulo Freire.

O professor, historiador e escritor Acioli Gonçalves da Silva Jr, pós-graduado em História e Cultura Afrobrasileira, mestre em ensino de História pela Universidade Federal Fluminense (UFF), foi o mediador da mesa que foi composta por representantes de várias religiões: Andrea de Souza da Cunha (professora de História) – representante do Islamismo, Pastor Marcelo Rocha – representante do Cristianismo Evangélico (Metodista Renovada), Flávio Scali – representante do Espiritismo Kardecista, Cris Anila Paramita – representante do Budismo, Etemy Sirlei d´lemanja – representante da comunidade tradicional de Matriz Africana e Reinaldo Brant – representante do Cristianismo Católico.

Todos os participantes discursaram sobre suas religiões, peculiaridades, filosofias, e mostraram aos presentes, que independente de credo, as religiões têm pontos em comum como amor e respeito, o que torna inviável a geração de conflitos por divergirem nas opiniões e pensamentos.

No Brasil, onde a sociedade é plural em termos étnicos, trabalhar esse tema é uma forma de chamar atenção para um problema cotidiano pouco aprofundado nas mídias tradicionais, além de conscientizar e promover o respeito mútuo. Mais que uma questão religiosa, é uma questão cultural e social, assegurada por lei, segundo o artigo 18 da Declaração Universal dos Direitos Humanos: “Todo o homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião”. Este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou em particular.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui