InícioRegião dos LagosCabo FrioMarido de investidora de empresa suspeita de pirâmide que fechou em Cabo...

Marido de investidora de empresa suspeita de pirâmide que fechou em Cabo Frio relata sumiço de empresário

Segundo marido de cliente, cuja família investiu R$190 mil na empresa, irmão de dono da Investing Lagos confirmou golpe e disse a ele para “buscar seus direitos”

A Investing Lagos, empresa de investimentos suspeita de funcionar como pirâmide financeira em Cabo Frio que anunciou encerramento das atividades na quarta-feira (8), é mais uma a deixar os clientes desesperados e apreensivos.

O marido de uma cliente da Investing, Junior Silva, procurou o Portal RC24h nesta sexta (10) para contar a história dele com a empresa, que envolve um investimento de R$190 mil feito por toda a família, incluindo sogra, esposa, cunhado e uma amiga da esposa.

Com o montante investido, não tem sobrado nem para o aluguel e a falta de repasses mensais fez com que a mesma família que investiu quase R$200 mil tivesse que pegar empréstimo para pagar o aluguel da casa onde vive.

Segundo Junior, o dono da Investing Lagos, Thiago Lobo de Souza, fugiu com o dinheiro dos clientes. Ele contou ainda que a empresa não comunicou diretamente aos clientes sobre o encerramento das atividades.

Um consultor da empresa com quem os investidores falavam, tentou botar panos quentes e prometeu que os pagamentos serão feitos em 30 dias.

“O consultor é parte do golpe. Eu tenho uma conversa de 29 minutos que eu gravei ontem [quinta, 9] com ele. Ele está tentando ganhar tempo e defende que o Thiago vai devolver o dinheiro mês que vem”, relatou o investidor.

Esse ganhar tempo seria por conta da impossibilidade bancária de Thiago fazer grandes retiradas de dinheiro sem chamar a atenção. Para o cliente, “eles estão aplicando o golpe nesse exato momento”.

“Estou com dificuldade de achar outras pessoas que também tomaram esse golpe porque eles estão acreditando no pagamento daqui a 30 dias. Mas não tem essa de pagar. Eles vão fugir com o dinheiro de todo mundo”, lamentou o investidor.

Outro ponto que o marido da cliente usa para reforçar sua tese é que o consultor que o atendeu é amigo de infância da esposa dele e saiu de casa porque estava recebendo muitas ameaças.

“Ninguém vai querer matar nenhum dos dois, porque todo mundo quer receber. Eu acho que quem está querendo pagar não foge”, opinou.

‘Irmão de empresário confirmou golpe’

O marido da investidora foi até o local indicado como sede pelo CNPJ da empresa, em uma rua no Centro de São Pedro da Aldeia. Em um vídeo enviado ao Portal, o homem constatou que o endereço, na verdade, é a casa da mãe de Thiago.

No local, Thiago não foi encontrado e não foi feita nenhuma indicação de onde o empresário poderia estar.

“Quem estava lá, que me atendeu, foi o irmão dele. Me tratou supermal. Falou que o irmão dele realmente deu golpe em todo mundo e que era para eu procurar meus direitos, porque lá não era empresa, é a casa da mãe dele”, contou Junior.

Falta de transparência

O marido da cliente da Investing Lagos também contestou a falta de transparência da empresa com os investidores. Segundo ele, em momento algum ele e a família receberam diretamente o comunicado de que a empresa encerrou as atividades.

“A nota oficial [disponível no fim da matéria], a gente não teve pela empresa, não. A empresa não falou nada com ninguém. Isso aí eu peguei em um grupo aleatório. Minha esposa achou isso e, na hora, ficou louca, quase passou mal”, disse.

Família numerosa e crença na empresa

O marido da investidora que se diz lesado pela Investing Lagos contou que tem três filhos, sendo um de apenas seis meses, e que já sente os impactos da paralisação da empresa.

“Estou tendo que vender um anel que eu tenho aqui guardado para pagar a prestação do meu carro, para não atrasar. Pago R$1,6 mil de aluguel, meu pai teve que me emprestar o dinheiro. O cara mexeu com a minha vida toda”, desabafou.

A confiança na Investing Lagos se deu porque Junior já atuava como trader e sabia que tinha como ganhar dinheiro com esse tipo de investimento.

“O mercado financeiro é muito complexo, mas eu confiei na empresa. Quem opera consegue manter a empresa durante um tempo. Mas, quando chega a proporção de botar muita gente, não tem mais como operar para todo mundo”, afirmou.

“Até certa quantidade de pessoas, dá para se acreditar que é uma empresa de rentabilidade. Depois, não dá mais. Ele começa a pagar as pessoas com o próprio dinheiro de quem está entrando. Sempre as últimas pessoas que entram são as que mais se ferram no golpe”, arrematou, caracterizando um esquema de pirâmide financeira do qual acredita ter sido vitima.

Em busca de respostas

O Portal RC24h mandou mensagem para o corretor do cliente envolvido nessa história na tarde desta sexta-feira (10). Quem nos respondeu foi uma pessoa da família dele, que repassou a versão dos fatos que recebeu do dono da empresa, Thiago Lobo de Souza.

Segundo a pessoa, a Investing Lagos sempre honrou com os compromissos com os clientes. O que aconteceu é que Thiago operou valores em uma empresa de terceirização de trader dos empresários Nilson Alves, o Nilsinho da Moringa, e Roberto Messias.

Acontece que Nilson foi baleado em março deste ano e, após o atentado, suspendeu os pagamentos.

“A Investing Lagos, credora do Sr. Nilsinho, ingressou judicialmente, inclusive, criminalmente na Delegacia de Deflagrações tentando reaver o capital. O Nilsinho lesou milhares”, disse a familiar de um consultor da Investing Lagos.

“Em contrapartida, Thiago passou para os consultores que, hoje, com o que a empresa tem operando consegue devolver a restituição dos capitais a partir da primeira semana de outubro”, afirmou.

“Temos todas as provas que a Investing Lagos levou golpe do Nilsinho. Foi isso que o dono [Thiago] passou para os consultores e mostrou os papéis processando Nilsinho. O Nilsinho não paga os credores há seis meses. Essa é a verdade”, disse.

Ainda de acordo com essa fonte, Thiago não fugiu e está na casa dele, atendendo todos e assegurou que “o capital de será devolvido”.

Sobre o envolvimento do consultor em uma suposta fuga de Thiago, a familiar disse que ele foi “apenas um no meio que investiu e, quando soube, infartou e ficou internado. Tão vítima como todos”.

Nós também procuramos diretamente o dono, Thiago Lobo de Souza, mas ele não foi encontrado para se posicionar.

Notas oficiais da empresa:

A empresa Investing Lagos que sempre realizou os pagamentos dos seus investidores rigorosamente em dia, vem a público informar aos nossos queridos clientes e consultores que, diante da inadimplência ocasionada pelos nossos trader’s contratados, de forma extraordinária e visando manter suas obrigações em dia, teremos que encerrar nossas atividades e rescindir de forma antecipada todos os contratos.

Nosso setor jurídico já ingressou com notícia crime junto à Delegacia de Defraudações comunicando a ausência de restituição dos valores dos investidores aportados na conta dos trader’s (prot. E-09/007368/0112021).

Assim, diante dos fatos narrados e do compromisso assumido, esta empresa vem realizando os devidos esforços para que o capital de todos os investidores comece a ser devolvido já a partir do próximo mês de outubro de forma gradativa.

Cabo Frio, 10 de setembro de 2021.

______________________________________

Como já é de conhecimento de todos no dia 20/03/2021 o nosso principal parceiro comercial e trader sofreu um atentado no semáforo da cidade na esquina da Rua Teixeira e Souza, tendo sido alvejado por três disparos de arma de fogo.

Referido senhor e seu sócio já estavam inadimplentes tanto com a nossa remuneração mensal quanto de demais investidores, fato que perdura até os dias de hoje sem qualquer resposta plausível para a ausência de restituição do capital aportado e dos rendimentos contratados.

Assim, o titular da empresa Investing Lagos apresentou notícia crime no dia 20/07/2021, que ganhou o protocolo nº E-09/007368/91/2021 junto à Delegacia de Defraudações do Estado do Rio de Janeiro e apresentou na ocasião todas as conversas de whatsapp com o parceiro inadimplente, além de fazer anexar as transferências realizadas para a conta do mesmo.

Mesmo diante da grave situação ocasionada pelo terceiro inadimplente, o responsável pela empresa vem envidando todos os esforços para o cumprimento das obrigações assumidas, tendo sido forçado a encerrar a captação e requerer a rescisão antecipada dos contratos cujo investimento começarão a ser restituídos já a partir do próximo mês outubro de 2021.

Atenciosamente,

Equipe Investing Lagos

VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content