Justiça do Rio decreta mandado de prisão por estelionato ao ‘Faraó dos Bitcoins’

Conforme a Justiça, Glaidson Acácio, que está preso em Gericinó, tem personalidade voltada para "a prática criminosa contumaz"

2608

Um novo mandado de prisão foi expedido para Glaidson Acácio dos Santos pela juíza Juliana Bessa Ferraz Krykhtine, da 4ª Vara Criminal de Niterói. Desta vez, por estelionato. O ‘Faraó dos Bitcoins’ segue preso desde agosto de 2021, acusado de crimes contra o sistema financeiro nacional, organização criminosa e lavagem de dinheiro, como foi indiciado pela Polícia Federal na última quinta-feira (26). Há ainda, contra Glaidson, dois mandados de prisão, sendo um como mandante de um assassinato e outro pela tentativa de homicídio.

Na nova acusação, conforme a 76ª Delegacia de Polícia do Centro de Niterói (76ª DP) e uma denúncia do Ministério Público estadual (MPRJ), entre junho e agosto de 2021, uma mulher foi vítima de golpe pelo grupo de Glaidson.

Ela disse, em depoimento, que foi vítima de um golpe com prejuízos no valor de R$ 30 mil. A mulher afirma que foi apresentada à GAS Consultoria Bitcoin, onde recebeu a promessa de que, com investimento em 36 meses, teria 10% mensal do valor de volta.

À polícia, a vitima disse que recebeu um pagamento no valor de R$ 3 mil e, logo depois, em agosto, Glaidson foi preso. Desde então, a mulher não recebeu mais alguma comunicação da GAS e não sabe se o capital aportado será devolvido.

Para a juíza Krykhtine, as informações bastam para definir a nova prisão do Faraó dos Bitcois.

“Tais aspectos indiciam a periculosidade do acusado que, solto, acarreta evidente ameaça à ordem pública”, diz.

Ainda segundo a juíza, há uma quadrilha especializada que opera no mercado de criptomoedas e especulação, com procedimentos em “pirâmide financeira”. Esses criminosos prometem rendimento de 10% do capital investido em período de três anos.

Na decisão, a magistrada considera que “os antecedentes dos denunciados lhe são extremamente desfavoráveis, pois há notícia nos autos revelando a prática diversos outros delitos, em relação a milhares de vítimas, circunstância que evidencia personalidade voltada para prática criminosa contumaz e sabidamente ofende a ordem pública”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui