Jovem de 19 anos perde filha recém-nascida e acusa hospital de Araruama de negligência

Mãe ficou em trabalho de parto da noite de sexta-feira (27) até a manhã de domingo (29); médicos instruíram família a registrar uma ocorrência na delegacia por conta da insistência da equipe em induzir um parto normal ao invés de fazer uma cesariana

730
Fachada do Hospital Geral Municipal Drª Jaqueline Prates, onde bebê morreu minutos após o nascimento neste domingo (29)

Uma jovem de 19 anos registrou uma ocorrência acusando o Hospital Geral Municipal Drª Jaqueline Prates, em Araruama, de negligência após a filha dela vir a óbito logo depois de nascer na unidade na manhã deste domingo (29).

De acordo com o registro, a jovem deu entrada na maternidade na sexta-feira (27), às 23h, em trabalho de parto para ter seu primeiro filho com 41 semanas de gestação.

Após mais de 24 horas na unidade, os médicos teriam induzido o parto normal ao invés de optar por uma cesariana desde o início.

O registro de ocorrências foi feito pela sogra da paciente, uma vez que ela ainda estava internada. Os próprios plantonistas teriam orientado a fazer o registro na delegacia.

Os vereadores Penha Bernardes (PL), que está grávida, e Oliveira da Guarda (MDB) publicaram um vídeo em tom de revolta sobre a situação.

A reportagem procurou a Prefeitura de Araruama e a Polícia Civil para mais informações sobre o caso. Em nota, a prefeitura respondeu que:

“(…) a direção do Hospital está apurando o caso, já que se trata de conduta médica, ou seja, procedimento de responsabilidade técnica por parte do médico credenciado. Assim que for gerado o relatório, o mesmo será disponibilizado ao MP”.

Com informações do Portal O Dia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui