Ialorixá de São Pedro da Aldeia recebe título de Doutora Honoris Causa por contribuição cultural

Márcia D'Oshun foi homenageada pela Faculdade Formação Brasileira e Internacional de Capelania e a Ordem dos Capelães do Brasil pelo documentário 'Ile Ase Iya Oju Omi: 20 anos de tradição'

508
Márcia D'Oshun (2ª da dir. p/esq.) é dirigente do Ile Ase Iya Oju Omi

A ialorixá Márcia D’Oshun, dirigente do Ile Ase Iya Oju Omi – ponto de cultura de São Pedro da Aldeia, recebeu esta semana o título de Doutora Honoris Causa pela contribuição cultural com o documentário “Ile Ase Iya Oju Omi: 20 anos de tradição”. A homenagem foi feita pela Faculdade Formação Brasileira e Internacional de Capelania e a Ordem dos Capelães do Brasil (OCB).

O evento aconteceu no Palácio Guanabara, no Rio, onde estiveram presentes outras personalidades de axé como a ialorixá Márcia Marçal e Marcelo Fritz. O título é o mais importante concedido pela Universidade e é atribuído a personalidade de destaque na cultura, educação e direitos humanos.

O documentário mostra a trajetória da casa de candomblé de São Pedro da Aldeia, reconhecida pelo Ministério do Turismo como ponto de cultura no Brasil, que possui o diploma Heloneida Studart, recebido da Comissão de Cultura da Alerj, por atuar na disseminação da cultura dos povos tradicionais (povos de terreiros) há mais de 20 anos.

“Em 2019, sofremos uma depredação do nosso prédio por pessoas intolerantes. Desta forma comecei a perceber que devíamos falar mais da nossa cultura, da nossa ancestralidade e que era necessário abrir as portas de fato para a comunidade, e assim estamos fazendo durante esses anos. Além de oferecermos oficinas gratuitas para a comunidade (jongo, atabaque e inglês), fundamos o Fórum de Religiosidade de Matriz Africana da Região dos Lagos, que vem acolhendo pessoas que sofrem intolerância. Nesses casos, encaminhamos para a Comissão de Combate às discriminações da Alerj, que tem sido parceira. O reconhecimento pelo nosso trabalho tem aparecido e isso me deixa extremamente lisonjeada e realizada”, afirma Márcia D’Oshun.

O documentário “Ile Ase Iya Oju Omi: 20 anos de tradição” foi um projeto fomentado pela Lei Emergencial de Cultura Aldir Blanc e pode ser assistido pelo YouTube.

Para fazer contato com o ponto de cultura é possível enviar um e-mail para o endereço ileaseiyaojuomi@gmail.com ou mensagem pelo Instagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui