InícioRegião dos LagosMacaéFalsos fiscais da Vigilância Sanitária podem estar aplicando golpes em Macaé

Falsos fiscais da Vigilância Sanitária podem estar aplicando golpes em Macaé

Apesar de recente em Macaé, o golpe já foi aplicado em Salvador (BA) e Campinas (SP), em 2020.

Um possível novo golpe está acontecendo em Macaé. No esquema, os criminosos se passam por fiscais da Vigilância Sanitária e ligam para as vítimas para conseguir dados pessoais como CPFs, informações bancárias e outros. A Coordenadoria Especial de Vigilância Sanitária (Covisa) reitera que todas as fiscalizações são realizadas presencialmente, e pede aos comerciantes que denunciem a prática e evitem passar dados pessoais pelo telefone.
O coordenador de Vigilância Sanitária, Ricardo Salgado ressaltou que devido as ligações de supostos fiscais que os estabelecimentos estão recebendo, a Coordenadoria faz esse alerta. “É preciso ficar atento, principalmente, em tempos de pandemia, pois diversas pessoas estão passando informações erradas e sem fundamentos”, disse.
O suposto golpe, apesar de recente em Macaé, já foi aplicado em outras cidades. Como por exemplo, em 2020, bandidos se passaram por fiscais da Vigilância Sanitária para exigir pagamento de comerciantes locais para manterem as portas abertas durante a pandemia, nos municípios de Esteio (RS), em novembro, Salvador (BA), em agosto, e Campinas (SP), em julho.

De abril a setembro, deste ano, golpistas se passaram por agentes da Vigilância Sanitária e clonaram números de telefone em diversos estados e cidades do país, como: no Piauí; Três Lagoas (MS); São João da Barra (RJ); Jaraguá (GO); Gramado (RS); Caxias do Sul (RS); Conselheiro Lafaiete (MG); Nova Odessa (SP); Jundiaí (SP); Guaíra (SP); Atibaia (SP); Catanduva (SP); Presidente Prudente (SP); Indaiatuba (SP); Santos (SP); Suzano (SP); Curitiba (PR); Londrina (PR); Telêmaco Borba (PR), Toledo (PR), Maringá (PR); Aracaju (SE); Vitória da Conquista (BA), entre outras.
De acordo com a Prefeitura de Macaé, o valor cobrado relativo às fiscalizações, em casos previstos em lei, é feito por meio da emissão do Documento de Arrecadação Municipal (DAM). Nenhuma taxa é cobrada através de transferência bancária e, caso alguém tente fazer dessa forma, o comerciante deve entrar em contato com a Covisa.

Em caso de ligações de supostos fiscais, o contato com a Vigilância Sanitária pode ser feito por meio do telefone 2762-0935, e-mail visa@macae.rj.gov.br ou na sede, na Avenida José de Aguiar Franco, 2150 – Costa do Sol. A denúncia também pode ser feita por meio da Ouvidoria Geral da Prefeitura de Macaé: 162. Outra recomendação é registrar o caso na polícia. Assim, é possível realizar uma investigação.

VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content