InícioDestaqueEmpresário do ramo de criptomoedas da Região dos Lagos é acusado de...

Empresário do ramo de criptomoedas da Região dos Lagos é acusado de aplicar golpe em investidores

Winzer Cooperativa prometia lucros de até 8% ao dia; empresa tem mais de 20 mil clientes

Um empresário do ramo de criptomoedas está sendo acusado de aplicar golpes em investidores da Região dos Lagos. Ele é dono da Winzer Cooperativa, que tem mais de 20 mil clientes.

Conforme uma denunciante, Rivelino Silva Guilhardi Filho lesou pessoas que fizeram investimentos via PIX. “Ele não pagou ninguém e sumiu”, diz a mulher.

O homem possui uma anotação criminal no Estado de Goiás, por estelionato em 2019.

Outra mulher, que também foi vítima do golpe, afirmou já ter registrado uma ocorrência na delegacia: “Já fiz o boletim de ocorrência, eles disseram que vão investigar todos que estão participando, inclusive eu mesma. Mas como já perdi tudo, estou nem aí”. Um perfil no Instagram também foi criado pelos envolvidos no golpe, como forma de alertar possíveis investidores futuros.

A Winzer Cooperativa prometia lucros diários de 4%, 6% e 8%, dependendo do valor investido, e os pagamentos eram feitos toda segunda, quarta e sexta-feira. Os depósitos dos lucros para os investidores começaram a ter problemas há cerca de uma semana.

“Na terça passada, o líder de um dos grupos começou a dizer que a conta estava bloqueada. Nós fazíamos os depósitos na conta da esposa dele e ela que recebia do Rivelino e nos repassava. Só que ele parou de pagar, dizendo que o dinheiro estava bloqueado”, explicou uma vítima.

Foram enviados diversos vídeos e áudios para os investidores. Em uma das imagens, é possível verificar o saldo das contas do estelionatário, que somadas, superam o valor de R$ 1 milhão.

Ainda conforme a mulher, na quarta-feira (4), “o líder do grupo disse que a empresa tinha falido. Segundo esse líder, ele tinha um seguro em um banco e entrou em contato para tentar sacar o valor. Ele também perdeu muito dinheiro e está com muito medo, porque é dono de um comércio, em São Pedro da Aldeia, próximo ao local onde o também investidor e trader do ramo de criptomoedas Wesley Pessano, de 19 anos, foi assassinado a tiros dentro de um automóvel Porshe Boxster na tarde de quarta.

Em conversa com o Portal RC24h, outra vítima da Winzer disse ter perdido cerca de R$ 8 mil. Valor que conquistou com a venda de uma motocicleta. O jovem de 24 anos, morador de São Pedro da Aldeia, que preferiu não ter a identidade revelada, contou ter conhecido a empresa por meio de propagandas nas redes sociais e achou o negócio bastante atraente pelo alto valor de retorno.

Ele conta ainda que foi incluído em um dos grupos de WhatsApp da Winzer. “Ele tinha mais de 79 grupos, todos lotados, com 256 membros. A gente investia, ele ia nos instigando a virar consultor e chamar mais pessoas para o esquema”, explica.

Entre os lesados pela Winzer Consultoria, estão pessoas que pediram empréstimos para investir até mesmo com agiotas, venderam casas e carros. “Ele tem investidores de São Pedro da Aldeia, de Cabo Frio, em todo o estado do Rio, se bobear, no Brasil todo”, alertou.

A Polícia Civil já montou uma força-tarefa na Região dos Lagos afim de investigar os crimes envolvendo o mercado de criptomoedas. A operação será realizada pelas delegacias de São Pedro da Aldeia (125 DP), Cabo Frio (126 DP), Armação dos Búzios (127 DP) e Iguaba Grande (129 DP), com apoio do Departamento-Geral de Polícia do Interior (DGPI).

Letycia Rocha
Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Veiga de Almeida. Atuou como produtora/repórter na Lagos TV e Coordenadora de Programação na InterTV - Afiliada da Rede Globo. Editora no Blog Cutback e colaboradora no jornal O Dia.
VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content