Em vídeo comovente, pai apela por uma escola que atenda seu filho com Down, em Cabo Frio

O menino de sete anos está há dois anos e meio sem frequentar uma escola; "Quando tem sala, não tem professor. Quando tem professor, não tem sala!", diz o pai

1143

Na tarde desta segunda-feira (23), o pai de um menino que tem Síndrome de Down fez um apelo comovente em sua rede social, pedindo ajuda para que o filho volte a estudar em Cabo Frio. Através de um vídeo, Adeilton Resende conta a dificuldade que tem enfrentado para que o pequeno Luiz Guilherme retorne aos estudos. Matriculado na Escola Municipal Maria Daria Saldanha, no bairro Jardim Esperança, a criança não frequenta o local porque não tem um auxiliar que o acompanhe.

No relato, o pai explica que o menino, de sete anos, está há dois anos e meio sem ir à uma escola. Primeiro, pela questão da pandemia, e agora, por não possuir uma pessoa capacitada para auxiliá-lo. Ele conta, ainda, que procurou até por escolas particulares do Jardim Esperança, mas também não conseguiu uma vaga para o filho.

“Quando tem sala, não tem professor. Quando tem professor, não tem sala!”, disse Adeilton.

E ele segue comovido e pedindo “por favor”, para que o ajudem.

“Por favor, me deixe ser o auxiliar. Eu vou para a sala, fico lá com ele e ajudo no que for necessário. Só quero que meu filho frequente a escola!”, exclama.

O Portal RC24h entrou em contato com a secretaria de educação de Cabo Frio e aguarda um posicionamento para o caso.

LEI DA INCLUSÃO

No Brasil, existe uma série de leis que regularizam e tratam sobre a inclusão de pessoas com deficiência e o acesso à educação. A lei de número 7.853/8 é uma delas. Instituída em 1989, dispõe sobre o apoio às pessoas portadoras de deficiência e sua integração social. Além disso, define como crime recusar, suspender, adiar, cancelar ou extinguir a matrícula de um estudante por causa de sua deficiência, em qualquer curso ou nível de ensino, seja ele público ou privado.

1 COMENTÁRIO

  1. E fogo eu levei meus documentos pra ser auxiliar de aluno especial fui desclassificado sem mais neim menos eu fui pelo amor que eu tenho a essas crianças sei que eles precisam está na escola e uma sacanagem da educação das prefeitura fazerem uma coisa dessas…
    Esse é o país que vivemos infelizmente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui