Denúncia aponta que mulher foragida por homicídio vive normalmente na Região dos Lagos

Iris Silva é acusada de matar e atear fogo no corpo do genro na Baixada Fluminense; mulher estaria morando no 2º Distrito de Cabo Frio e trabalhando em Búzios

6123

Uma mulher acusada de matar o próprio genro em Xerém, na Baixada Fluminense, está morando e trabalhando na Região dos Lagos. É o que aponta uma denúncia feita em um portal de notícias de Duque de Caxias.

Raphael e a esposa, Thamiris Galvão, que foi encontrada morta no dia 6 de maio na casa de familiares

Conforme o Portal D3, Iris Silva, considerada foragida da Justiça, está escondida em Unamar, no segundo distrito de Cabo Frio, e trabalha como cozinheira em um restaurante de Búzios. Ela é apontada como autora do homicídio do motorista de aplicativo Raphael Galvão, que foi encontrado carbonizado dentro do carro que alugava para trabalhar na manhã do dia 24 de abril, na Estrada do Cantão, no bairro Parque Eldorado, em Xerém.

Segundo testemunhas, o veículo foi incendiado por volta das 21h, no dia anterior e o corpo do rapaz foi encontrado carbonizado no porta malas do automóvel. Raphael, que era casado há 14 anos e tinha quatro filhos, desapareceu após aceitar uma corrida com duas mulheres para o centro da cidade.

Iris Silva foi flagrada por câmeras do circuito interno de um posto de combustíveis no momento em que abastecia um galão com gasolina horas antes de atear fogo no carro de Raphael. O corpo já estava no porta malas do veículo no momento. Nas imagens, Iris está de carona no carro alugado pelo genro. O condutor e comparsa da mulher não foi identificado.

Pouco mais de um semana após o homicídio, a esposa do motorista, Thamiris Galvão, foi encontrada morta dentro da casa de familiares, no bairro Parque Cristóvão Colombo. A suspeita é de que a mulher tenha cometido suicídio, já que a mesma foi localizada pendurada em um árvore, com uma corda no pescoço.

Contra Iris, há um mandado de prisão em aberto, expedido pela 4ª Vara Criminal de Duque de Caxias, pelo crime de homicídio.

Procurada, a Polícia Civil não respondeu até o fechamento desta matéria.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui