Conta de luz vai ficar mais cara na Região dos Lagos do que no restante do Rio de Janeiro

Aumento médio no Estado será de 12% a 17%; em municípios como Cabo Frio, Búzios e São Pedro da Aldeia, alta será de 17,14%

1036

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou nesta terça-feira (15), reajustes na conta de luz para clientes da Enel Rio, que abastece o restante do estado. Em média, as contas ficarão entre 12% a 17% mais caras para os fluminenses. Mas tem gente que vai pagar um pouco mais do que a média: os clientes da Enel, concessionária que atende a maior parte dessa região, vão encarar uma alta de 17,14% (leia mais abaixo).

Os aumentos, como sempre, serão divididos em três faixas distintas, uma para clientes residenciais, um para consumidores de alta tensão, e um para consumidores de baixa tensão. O reajuste já entrou em vigor nesta terça (15).

Segundo a Aneel, há dois principais motivos para o aumento de dois dígitos da energia. O primeiro foi o aumento do custo de compra e distribuição de energia. Desde o ano passado o país vem sofrendo as consequências de uma crise hídrica, que elevou o preço da energia devido ao baixo reservatório das hidrelétricas, e a necessidade se acionar as termelétricas, que produzem uma energia mais cara e poluente com a queima de carvão.

O segundo motivo seria o furto de energia, ou “gatos”, como são chamados. De acordo com as empresas distribuidoras, cerca de 40% da energia consumida no Rio de Janeiro tem esse tipo de origem. O custo é repassado pela empresa aos outros consumidores que estão na legalidade.

ENEL

Clientes da Enel terão um reajuste maior em suas contas de luz. Clientes residenciais verão um aumento de 17,14%. Consumidores de alta tensão, por sua vez, terão a conta aumentada em 15,38%. Já os clientes de baixa tensão terão um reajuste de 17,39%.

A média dos reajustes da Enel ficou em 16,86%. Diferentemente da Light, o reajuste da Enel veio a partir do reajuste tarifário anual, que acontece todo ano e tem como objetivo atualizar os valores segundo os índices inflacionários e repassar custos não gerenciáveis, como o aumento no custo de compra da energia.

LIGHT

Para clientes residenciais, o aumento será de 15,41%. Já para consumidores de alta tensão, como indústrias e grandes negócios, a tarifa aumentará em 12,89%. Por fim, para consumidores de baixa tensão, que é o caso de pequenos negócios, o reajuste fica em 15,53%.

A Light teve seu reajuste através do processo chamado de “revisão tarifária periódica”, que é realizado a cada quatro anos e serve para ajustar o valor da tarifa com o custo de operação da concessão. Em média, o reajuste da Light ficou em 14,68%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui