InícioCulturaCONSCIÊNCIA NEGRA/ Personalidades que fazem a diferença na Costa do Sol

CONSCIÊNCIA NEGRA/ Personalidades que fazem a diferença na Costa do Sol

No dia em que se comemora a Consciência Negra, neste 20 de novembro, o Portal RC24h faz uma homenagem a todas e todos com uma reportagem especial

Neste sábado, 20 de novembro, é o Dia Nacional da Consciência Negra, em homenagem ao alagoano Zumbi dos Palmares, um dos maiores líderes negros do Brasil que lutou até a morte pela libertação do povo contra o sistema escravista. A data é importante para toda a comunidade negra, especialmente na luta antirracial, e o Portal RC24h escolheu seis personagens de destaque em Cabo Frio e toda Costa do Sol que representam a negritude, o talento, a inteligência, os saberes e a capacidade intelectual daqueles que fazem parte dos 56% da população brasileira, segundo dados do IBGE.

Esses personagens, de diferentes faixas etárias e profissões, contam um pouco das suas experiências num Brasil racista que insiste em negar o preconceito racial, apesar de mostrar, todos os dias, os altos índices de crimes de ódio e denúncias de racismo.

MARGARETH FERREIRA
Advogada, 58 anos

Brilhante advogada e ativista ferrenha pelos direitos humanos, Margareth Ferreira também é mulher de axé, mãe e avó. Para ela, falar de consciência negra é saber que o racismo existe e insiste em negar direitos fundamentais, como trabalho, educaçao, saúde e segurança para todas e todos.

“Negar esses direitos aos brasileiros e brasileiras não é ser patriota. Negar esses direitos a povos indígens, povos negros, povos brancos e todas as etnias é dizer que nós não temos o direito a viver o Brasil com plenitude. O Brasil não é só das elites, o Brasil pertence também aos povos que construíram esse país. É por isso que eu digo: salve Zumbi, salve Dandara! Lutemos para retirar esse governo genocida que não quer que nós possamos exercer todos os nossos direitos. Muito axé, um beijo no coração de todos e que a gente lute no dia 20. Fora Bolsonaro!”, finalizou dra Margareth.

GABRIELY MOTA
Atriz e cantora, 11 anos

A pequena estrela cabo-friense já tem um currículo de tirar o fôlego. Já fez trabalhos na rede Globo e até premiada com o “Leão de Ouro” – principal prêmio do mercado publicitário do mundo -, na categoria Entretenimento, no Festival de Cannes deste ano, junto à equipe que participou do especial natalino da Rede Globo “Juntos a Magia Acontece”.

“Graças a Deus não, enfrentei essa questão de dificuldade para mostrar meu talento não. Eu quando fui morar no Rio pela primeira vez, eu fiquei com muito medo em relação a isso, pois a escola que eu ia estudar era uma escola muito avançada, mas graças à Deus foi tranquilo. A mensagem que eu deixo é primeiramente não desistir dos seus sonhos. por mais que pareça difícil, vá a luta. Uma coisa que eu aprendi é, que se tem como mostrar seu talento, faça o seu melhor, se vai estudar, foca naquilo que você quer. E não dê ouvidos no que as pessoas falam. Outra coisa muito boa que eu faço, é acreditar que eu posso, eu quero e vou conseguir. Pois se eu não enfrentar os desafios agora eu não vou estar pronta para enfrentar lá na frente algo muito difícil. É isso, acredite em você e vai a luta, pé no chão e humildade sempre.

Ao final da entrevista, Gabriely perguntou: posso mostrar um vídeo que fiz para esse dia? Claro que pode Gabi!

_____________________________________________

REINALDO CAÓ
Artista plástico, 55 anos

Há 43 anos atuando na profissão que escolheu, aliás, o contrário, “o ofício me escolheu, aconteceu de forma natural, é uma paixão!” Reinaldo já expôs seus trabalhos até na França, país onde, segundo ele, foi respeitado como nunca foi no Brasil. Em 2004 fundou um projeto social na periferia de Cabo Frio, que acolheu 140 crianças. O Instituto Cultural Casa de Caó, desenvolverá todos os anos exposições sobre a Consciência Negra, para que haja celebração e resgate.

“Meu maior desafio foi a falta de investimento e minha maior referência na profissão foi a persistência. O Dia da Consciência Negra é de extrema importância. Somos uma nação miscigenada e falo com muita propriedade que a miscigenação não foi poesia e muito menos legal. As pretas sofreram abuso, constrangimento, dor, desrespeito e isso me dói! O dia da Consciência Negra é um momento de muita reflexão, quem é contrário, desconhece a história dos nossos ancestrais. Uma conta que nunca será paga”.

ÁGATHA ÍRIS
Mulher trans, atriz, compositora, colunista, 20 anos

Para Ágatha, a consciência negra, enquanto uma travesti negra, diz muito não só sobre o cenário político atual, mas também sobre uma historicidade negada da história.

“Afinal, quem conta a narrativa de transcestrais negras, como Xica Manicongo, primeira travesti negra existente no Brasil Colônia? Ainda neste sentido, vale destacar igualmente que o governo bolsonarista que tem gênero, cor e classe submete a população transvestigênere negra a uma realidade onde 80% das pessoas trans e travestis assassinadas são negras, o que impacta diretamente em sua expectativa de vida de 28 anos”.

LUCAS D’ASSUMPÇÃO
Jornalista e surfista, 28 anos

Lucas conta que nem nos maiores sonhos dele imaginou que o surfe o levaria tão longe.

“Comecei a surfar em 2001, nunca fui tão habilidoso no esporte, mas o entendo muito. Virei um aficionado pelo surfe, gosto das suas histórias, do começo, das primeiras pranchas… enfim, é um universo que me agrada muito. Eu sou um dos poucos negros do país na área e olhando para o que já fiz e pretendo fazer, me considero uma inspiração para meninas e meninos pretos que queiram trilhar um caminho que eles não se sintam representados. Se ver em lugares onde jamais imaginou é de uma importância imensa. Orgulho demais em ser preto e trilhar novos caminhos para exaltar cada dia mais o nosso povo. Obrigado, surfe!”

IZA VICENTE
Advogada e vereadora de Macaé, 26 anos

Desde muito jovem envolvida com movimentos sociais, Iza luta por melhorias na sociedade, seja por meio do voluntariado ou da vias públicas. No mandato, atuo nas comissões de Defesa dos Direitos Humanos e do Trabalhador, Educação e Cultura, Ética e Moral e Bons Costumes e Decoro Parlamentar, Cidadania da Infância e Juventude e Transporte e Mobilidade Urbana.

“Acredito que a política deve ser justa, transparente e deve representar as pessoas, todas as pessoas, sem distinção de sexo, cor ou raça e classe social. Um dos meus desafios é aumentar ainda mais o alcance do serviço às pessoas, bem como a participação popular nas decisões políticas e assim, ser parte ativa da transformação que quero ver na cidade. Filha de Dona Guta, muito cedo eu entendi que não seria fácil ser mulher negra em uma sociedade machista e racista mas isso não me fez desistir. O Dia da Consciência Negra é um dia importante e necessário principalmente neste momento que vivemos de tanto ódio nas redes sociais. Porém o fundamental mesmo é utilizarmos essas datas para realizarmos reflexões das nossas pequenas vitórias. É importante incentivar os jovens e mostrar que é possível chegar a todos os lugares. Hoje eu estou vereadora na Câmara de Macaé e isso é possível para todos. E durante muito tempo nos disseram que não era”.

VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content