Cabo Frio vai celebrar Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência

270

Nesta quinta-feira (11) comemora-se o Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência. Para celebrar a data, neste dia a Secretaria-adjunta de Ciência e Tecnologia realizará uma live às 19h, na página da Prefeitura no Facebook. O objetivo é promover uma reflexão sobre a relação entre mulher e ciência.

A live contará com a presença da doutora em Ecologia e Recursos Naturais, Ana Paula da Silva, da mestra em Sistemas de Gestão, Ivini da Silva Bruni, da mestra em Estudos Profissionais Especializados em Educação, Fernanda Moraes de Oliveira, e do doutor em História e secretário-adjunto de Ciência e Tecnologia, Rafael Peçanha. A celebração ao Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência se encerra no dia 8 de março com o Dia Internacional da Mulher.

Além da live desta quinta-feira, a Secretaria-Adjunta de Ciência e Tecnologia, em parceria com a Casa da Ciência (UFRJ), realizará no dia 18 de fevereiro, às 15h, uma transmissão no Facebook do espetáculo “Insubmissas: Mulheres na Ciência”, através da página oficial da Prefeitura de Cabo Frio. O espetáculo é de produção do Núcleo Arte Ciência no Palco, da Cooperativa Paulista de Teatro, e tem como autor Oswaldo Mendes. Após a transmissão, os autores conversarão com os internautas ao vivo.
 
CONHEÇA A SINOPSE DO ESPETÁCULO

Quatro personagens contracenam numa instalação de cordas, pedras e luzes que impõem delicado equilíbrio entre o tempo histórico e o tempo da representação. Marie Curie, Bertha Lutz, Rosalind Franklin e Hipátia de Alexandria contam assim sua difícil entrada e convivência no círculo machista da Ciência, que reproduz os preconceitos, a intolerância e as discriminações contra a mulher em diferentes épocas e lugares. 

Dessas quatro mulheres em cena, Rosalind deu contribuição decisiva à pesquisa do DNA sem nunca ter o reconhecimento do prêmio Nobel; a cientista Madame Curie, embora premiada duas vezes com o Nobel, passou fome na França. Acusada de exacerbar um conflito entre o governador e o bispo da Alexandria, em março de 415, a matemática e professora de filosofia e astronomia Hipátia foi assassinada por uma multidão de cristãos; e a bióloga brasileira Bertha Lutz que fez da luta pelos direitos da mulher no século XX seu objetivo de vida.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui