InícioRegião dos LagosCabo FrioCabo Frio vai celebrar Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência

Cabo Frio vai celebrar Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência

Nesta quinta-feira (11) comemora-se o Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência. Para celebrar a data, neste dia a Secretaria-adjunta de Ciência e Tecnologia realizará uma live às 19h, na página da Prefeitura no Facebook. O objetivo é promover uma reflexão sobre a relação entre mulher e ciência.

A live contará com a presença da doutora em Ecologia e Recursos Naturais, Ana Paula da Silva, da mestra em Sistemas de Gestão, Ivini da Silva Bruni, da mestra em Estudos Profissionais Especializados em Educação, Fernanda Moraes de Oliveira, e do doutor em História e secretário-adjunto de Ciência e Tecnologia, Rafael Peçanha. A celebração ao Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência se encerra no dia 8 de março com o Dia Internacional da Mulher.

Além da live desta quinta-feira, a Secretaria-Adjunta de Ciência e Tecnologia, em parceria com a Casa da Ciência (UFRJ), realizará no dia 18 de fevereiro, às 15h, uma transmissão no Facebook do espetáculo “Insubmissas: Mulheres na Ciência”, através da página oficial da Prefeitura de Cabo Frio. O espetáculo é de produção do Núcleo Arte Ciência no Palco, da Cooperativa Paulista de Teatro, e tem como autor Oswaldo Mendes. Após a transmissão, os autores conversarão com os internautas ao vivo.
 
CONHEÇA A SINOPSE DO ESPETÁCULO

Quatro personagens contracenam numa instalação de cordas, pedras e luzes que impõem delicado equilíbrio entre o tempo histórico e o tempo da representação. Marie Curie, Bertha Lutz, Rosalind Franklin e Hipátia de Alexandria contam assim sua difícil entrada e convivência no círculo machista da Ciência, que reproduz os preconceitos, a intolerância e as discriminações contra a mulher em diferentes épocas e lugares. 

Dessas quatro mulheres em cena, Rosalind deu contribuição decisiva à pesquisa do DNA sem nunca ter o reconhecimento do prêmio Nobel; a cientista Madame Curie, embora premiada duas vezes com o Nobel, passou fome na França. Acusada de exacerbar um conflito entre o governador e o bispo da Alexandria, em março de 415, a matemática e professora de filosofia e astronomia Hipátia foi assassinada por uma multidão de cristãos; e a bióloga brasileira Bertha Lutz que fez da luta pelos direitos da mulher no século XX seu objetivo de vida.

 

VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content