Após dias de agonia, médico retira barata do ouvido de mulher em Cabo Frio

Aline Lopes recebeu ajuda, de forma gratuita, do Dr. André Defaveri, otorrinolaringologista, em seu consultório, já que os hospitais públicos da região não possuíam profissionais especializados, nem equipamentos adequados para a remoção

5784

Depois de mais de 24h de agonia, Aline Lopes, moradora de Cabo Frio, finalmente conseguiu retirar, nesta segunda-feira (6), a barata que havia entrado em seu ouvido, caso que aconteceu na madrugada deste domingo (5). Ela, que procurou ajuda em hospitais públicos da Região dos Lagos, apenas conseguiu ajuda em um consultório particular, com o Dr. André Defaveri, otorrinolaringologista, que se sensibilizou com a situação e realizou a intervenção de forma gratuita.

Inicialmente, a saga começou no Hospital Otime Cardoso dos Santos, em Cabo Frio. O atendimento não aconteceu, já que não haviam profissionais especializados, nem equipamentos. Depois ela foi para o pronto socorro de São Pedro da Aldeia, onde enfermeiros tentaram tirar o inseto com um sugador, chegando a remover a parte traseira do bicho, mas não conseguindo realizar efetivamente a intervenção. Até tentaram encaminhá-la para uma unidade no Rio de Janeiro, sem sucesso.

“Uma doutora tentou tirar o bicho com o sugador e começaram a mexer no meu ouvido de novo, que já tava com o tímpano muito machucado por conta da barata e por conta do alicate que estavam enfiando. Eu sentia muita dor e eles me sedaram”, conta.

A situação repercutiu nas redes sociais após vídeos divulgados no instagram de Aline e compartilhados pelo Portal RC24h. O pedido de ajuda reuniu dezenas de comentários e compartilhamentos, onde pessoas se ofereciam para criar uma vaquinha virtual ou, até mesmo, pagar a consulta. Uma das postagens alcançou Suellen, colega dela, que também resolveu ajudar.

Suellen entrou em contato com o Dr. André Defaveri, seu tio, contando a situação desesperadora da mulher. O médico prontamente aceitou e, ainda na noite deste domingo, entrou em contato com Aline, oferecendo o tratamento de forma gratuita em seu consultório, que fica no centro de Cabo Frio. Ela aceitou imediatamente.

Aline voltou a compartilhar vídeos em seu Instagram na manhã desta segunda, por volta das 10h, contando detalhes do procedimento e agradecendo o Dr. André, afirmando que, se não fosse por sua ajuda, não conseguiria realizar a intervenção tão cedo. Além disso, também conta que é grata pela companhia do marido, Douglas Magalhães, que esteve ao seu lado durante toda a ‘peregrinação’ pelos hospitais da região.

“Ele (Dr. André) conseguiu remover a barata do meu ouvido! E gente, foi muito rápido, muito rápido! Acho que não demorou nem dois minutos. Ele passou anestesia, limpou, fez tudo e com sucção conseguiu remover a barata (…)”.

Agora, já com o inseto removido, Aline conta que fará o tratamento com antibióticos, já que toda a situação pode ter ocasionado complicações. “Caso dê problema com otite, ou alguma coisa, ele pediu para voltar lá para ver melhor, né? Porque ele tirou a barata, mas pode ser que tenha alguma bactéria, tenha alguma coisa… Apesar de ter lavado, deve ter alguma coisa”, compartilha, em tom de alívio.

Segundo a paciente, que já conseguiu as medicações por intermédio de uma amiga, agora é necessário ficar de repouso e permanecer em locais silenciosos, já que o ouvido está muito sensível.

A reportagem entrou em contato com as Prefeituras de São Pedro da Aldeia e Cabo Frio, questionando sobre a falta de profissionais especializados e materiais específicos para a remoção do inseto.

Em nota, a Prefeitura de Cabo Frio conta que que o atendimento foi realizado, mas por se tratar de um caso específico, a intervenção não foi feita. “Foi agendado atendimento no PAM de São Cristóvão, para hoje, às 11h, com um otorrinolaringologista. Contudo, a paciente conseguiu atendimento antes deste horário em clínica particular”, afirma.

Ainda sobre a situação, o Portal perguntou o que será feito se o caso acontecer novamente já que, mesmo que seja incomum, emergências como essas podem acontecer. A Prefeitura afirma que está aguardando a resposta da Secretaria de Saúde.

O município de São Pedro da Aldeia afirmou que, no momento, não possuem otorrinos, mas que buscam meios de ampliar a contratação desses especialistas para o atendimento à população.

Outras reclamações

Com a grande repercussão do caso, outras reclamações sobre a falta de otorrinolaringologistas nas unidades públicas da região vieram à tona. Uma mulher, moradora de Cabo Frio, conta que necessitou do profissional para realizar atendimento à sua filha, mas não conseguiu. Confira o relato:

“A prefeitura de Cabo frio está sem otorrino faz tempo. Minha bebê ficou aguardando para fazer o teste do ouvidinho e linguinha até os três meses. Ligávamos para o hospital da mulher quase todo dia, e a resposta era sempre a mesma “estamos sem otorrino”. Tive que pagar para fazer o exame, pois o limite para fazer esse exame é até os três meses. Mas aí fiquei pensando “e quem realmente não tem condições nenhuma de pagar para fazer o exame?” Fica sem fazer né! E vendo o caso dessa moça (Aline), percebe-se que ainda estão sem otorrino. Absurdo isso”, conclui, indignada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui