Abertura da 13ª edição do Parlamento Juvenil da Alerj será nesta segunda-feira (27)

O projeto, que é realizado pela Alerj, acontecerá às 15h, no Plenário da Casa, no Rio de Janeiro

244

A abertura da 13ª edição do Parlamento Juvenil, projeto realizado pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), acontecerá nesta segunda-feira (27), às 15h, no Plenário da Casa. O evento contará com a presença de 97 alunos do ensino médio de escolas da rede estadual, que participarão de atividades ao longo de toda a semana, encerrando-se na próxima sexta-feira (1º).

Os jovens parlamentares foram eleitos entre os alunos de suas respectivas escolas e têm entre 15 e 18 anos de idade. A iniciativa é uma parceria criada em 2003 da Alerj com a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc), que tem como objetivo incentivar jovens de escolas estaduais a experimentar a atividade política e conhecer o processo legislativo.

“Nosso desafio é efetivar a participação política da juventude para debater questões e problemáticas sociais atuais. A juventude tem um papel central na construção de políticas públicas pela sua vocação de potência comunitária, pois o jovem é articulador do seu território, dos seus processos”, explicou a presidente do Parlamento Juvenil, deputada Dani Monteiro (PSol).

O Parlamento Juvenil simula os moldes do parlamento convencional, com direito a escolha da Mesa Diretora, Regimento Interno e votação em plenário. Durante uma semana, os estudantes eleitos passam a ter as mesmas atribuições de um deputado estadual e discutem e aprimoram projetos de lei de sua própria autoria que podem virar leis oficiais para toda a população fluminense. “Independente de terem sido ou não escolhidos durante o Parlamento Juvenil, muitos projetos são adotados pelos deputados”, explicou o coordenador do programa, Wanderson Nogueira. O ex-deputado ainda destacou a importância do diálogo para o evento. “O Parlamento Juvenil é suprapartidário, ou seja, aceita todas as correntes ideológicas. Sem abrir mão, claro, do diálogo e do respeito”, observou.

Além das obrigações legislativas, também serão proporcionadas aos jovens atividades culturais como batalha de rimas, show de talentos e visitas institucionais à Fiocruz, ao Museu da República e à Zona Portuária do Rio de Janeiro. O ex-parlamentar juvenil, Alex Terra, representante de São Pedro da Aldeia na 12ª edição, relatou que a experiência mudou a sua vida. “O Parlamento Juvenil potencializa as vozes dos jovens, já que mobiliza adolescentes de todos os municípios e faz com que eles ocupem espaços de poder. O PJ não é apenas um projeto político, é um projeto social e de construção cidadã, que insere os jovens na sociedade como cidadãos participativos e que exercem sua cidadania”, comentou.

Aplicativo LegislAqui: ideia sugerida no PJ

O Parlamento Juvenil é um celeiro de propostas de leis. Na 11ª edição, por exemplo, a integrante Larissa Westfal sugeriu o projeto de lei para a criação do LegislAqui, aplicativo que estimula e facilita a participação popular. A ideia virou lei e o aplicativo já está em pleno funcionamento.

Larissa reforça a importância da participação dos jovens na política como forma de trazer conhecimento e renovação para a atividade legislativa. “O Parlamento Juvenil é um projeto muito impactante na vida dos jovens que participam dele. Além de abrir nossos olhos para a política, também nos faz enxergar as dificuldades do nosso estado. É muito importante que cada vez mais os jovens continuem participando da política, porque nosso futuro só depende de nós”, comentou.

Semana-Parlamento_Juvenil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui