VERÃO 2022/ Temporada aqueceu o turismo, mas ainda não foi o suficiente para recuperação do setor no ‘pós-pandemia’ em Cabo Frio

De acordo com levantamento feito pela Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Lazer, o Réveillon foi período o de maior movimento, com público estimado entre 650 e 700 mil visitantes

365

A alta temporada chega ao fim e a cidade de Cabo Frio aos poucos volta ao normal. No primeiro verão pós-pandemia, que terminou no último domingo (20), o município sentiu a retomada do turismo de forma lenta. Com avanço da vacinação da Covid-19, o setor ficou confiante de uma retomada de sucesso, mas o novo alerta por conta da variante ômicron freou a expectativa de que este seria o ‘melhor verão de todos os tempos’.

Segundo levantamento feito pela Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Lazer de Cabo Frio, junto aos meios de hospedagem, a cidade registrou ocupação hoteleira de 59% em dezembro; 75,5% em janeiro; 52% em fevereiro e 59,5% em março (média parcial).

O levantamento aponta ainda que o período do Réveillon foi o de maior movimento, com público estimado entre 650 e 700 mil visitantes no período, em comparação com o Carnaval, com 400 mil.

De acordo com Carlos Cunha, empresário do ramo hoteleiro, o verão foi satisfatório para o setor. “Óbvio que esperávamos mais, porém, com a chegada da ômicron, trabalhamos no limite que conseguiríamos operar”, disse.

O empresário afirmou que o setor ainda não teve forças para se recuperar das perdas do período de pandemia, quando os hotéis chegaram a ficar cinco meses totalmente fechados, sem nenhum faturamento ou auxílio, mas segue confiante. “Acredito que este ano, caso o poder público nos permita, a retomada do turismo poderá finalmente sair do discurso pra ação”, completou.

Vale ressaltar que a temporada de calor marca o pico de demanda no turismo, que amargou perdas de R$ 453 bilhões no acumulado desde abril de 2020 até outubro de 2021, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo.

Para Márcio Cravo, administrador de uma Pousada na Praia do Forte, em Cabo Frio, a recuperação também não veio no primeiro verão depois do grande estrago da pandemia, mas com um crescimento de 22% em relação ao ano de 2021, ele afirma que já começou a “respirar sem ajuda de aparelhos”.

Para chamar a atenção dos turistas, a pousada investiu na qualidade do atendimento e na infraestrutura. “Estamos dando conforto e segurança aos nossos hóspedes. Esse sim seria o diferencial”, conclui.

A expectativa agora é que, nos próximos feriados, a procura volte a aumentar na cidade. Com o “segundo carnaval”, previsto para acontecer em 21 de abril, dia de Tiradentes, mesmo sem festejos de rua, Cabo Frio espera um aumento no fluxo de turistas, já que “o maior carnaval fora de época do Rio de Janeiro” está de volta. Com atrações como Ludmilla, Tuca Fernandes, Durval Lelys e É o Tchan, a micareta acontece nos dias 21, 22 e 23 de abril e promete arrastar multidões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui