InícioAraruamaRegião dos Lagos se mantém na bandeira amarela do Mapa de Risco...

Região dos Lagos se mantém na bandeira amarela do Mapa de Risco da Covid pela 3ª semana consecutiva

Cenário epidemiológico apresenta baixo risco de contrair a doença em cinco regiões do Estado, entre elas, a Baixada Litorânea; duas permanecem em bandeira vermelha

A Região dos Lagos se mantém na bandeira amarela conforme a 36ª edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada na última sexta-feira (25) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). A região está inserida na área da Baixada Litorânea, com risco baixo de contrair a doença pela terceira semana consecutiva.

Além da Baixada Litorânea, as regiões do Médio Paraíba, Serrana, Norte e Metropolitana II se mantiveram na melhora do cenário epidemiológico desde a última análise. As regiões da Baía da Ilha Grande e Noroeste permanecem com bandeira vermelha, que representa risco alto. Centro-Sul e Metropolitana I estão em bandeira laranja de risco moderado.

A análise compara a semana epidemiológica 23 (6 a 12 de junho) com 21 (23 a 29 de maio) de 2021.

“Mesmo com a queda nos indicadores, é importante reforçarmos que a população precisa continuar se vacinando e seguindo as medidas de enfrentamento, como uso de máscara e álcool em gel, lavagem das mãos e evitar aglomerações. Neste momento, ainda não temos uma parcela importante da população imunizada. Por isso, mesmo quem já se vacinou deve manter as medidas de precaução recomendadas”, disse o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo).

O Estado do Rio de Janeiro apresentou uma redução de 26% no número de óbitos, e as internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) caíram 35% na comparação entre as semanas epidemiológicas analisadas. As taxas de ocupação de leitos no estado, nesta sexta-feira (25), são 63% para leitos de UTI e 44% para leitos de enfermaria.

Os resultados apurados para os indicadores apresentados devem auxiliar a tomada de decisão, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada região.

Letycia Rocha
Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Veiga de Almeida. Atuou como produtora/repórter na Lagos TV e Coordenadora de Programação na InterTV - Afiliada da Rede Globo. Colabora no jornal O Dia e Blog Cutback.
VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content