RC CAST/ ‘Eu não conheço a derrota’, afirma Janio Mendes

O ex-deputado e candidato para retornar à Alerj novamente foi o convidado do podcast desta quinta-feira (4), ocasião em que não poupou críticas à concessionária ViaLagos: "O contrato deveria estar suspenso desde o início deste ano, conforme o TCE. Isso é um crime contra a economia popular"

487

O ex-deputado Janio Mendes (PDT), que é novamente candidato a retornar à Alerj nas eleições, foi o convidado do 20º RC Cast, transmitido nesta quinta-feira (4). Janio é o principal conselheiro do prefeito cabo-friense, José Bonifácio (PDT), foi vereador (o mais votado do parlamento cabo-friense) e deputado estadual de 2011 a 2019. Ele também já foi candidato a prefeito da cidade, nas eleições 2016. “Eu não conheço a derrota”.

Contou um pouco da sua história de vida antes de entrar para a política, desde os tempos da Gamboa – tradicional bairro de pescadores de Cabo Frio – quando a mãe lavava roupa para as famílias tradicionais da cidade para ajudar a criar os sete filhos até sua formação como professor e advogado. Se emocionou ao lembrar do Colégio Rui Barbosa, onde trabalhou e estudou. Falou ainda com carinho sobre a esposa, filhos e a netinha. “Assim sou eu. Por trás dessa pessoa sisuda há uma sensibilidade muito forte”.

Lembrou de uma dos maiores conquistas enquanto deputado, a mureta divisória e o acostamento da RJ-124 (ViaLagos), que fizeram cair os índices de acidentes na rodovia. E nessa seara, não poupou críticas ao aumento abusivo na taxa de pedágio cobrado pela concessionária, considerado o mais caro do Brasil.

“Em 2021 a justiça havia determinado o fim da concessão da ViaLagos, o contrato era para ter sido suspenso, conforme avaliação do TCE. Se o contrato está suspenso, não pode haver aumento de tarifa. A concessionária lucra 19% em cima dos ganhos com pedágio, quando a taxa deveria ser 7% que é o praticado nas concessionárias do Brasil e do mundo. Está nas mãos do governador resolver isso. Uma nova licitação para a RJ-124 vai por fim a esse absurdo. Isso é um crime contra a economia popular”, disse.

Janio falou ainda sobre o momento de polarização por que passa o país, do apoio a Rodrigo Neves para o governo e da possibilidade do PT apoiar o pedetista no Estado. Discorreu sobre o governo do atual prefeito cabo-friense e comentou da história de que ele (Janio) manda mais que o prefeito. “Só acha isso quem não conhece José Bonifácio”.

E mais, que a causa da cidade estar nessa situação largada foi por irresponsabilidade dos governos anteriores, que impede o avanço na melhoria de infraestrutura. Segundo Janio, se não houvesse as dívidas milionárias deixadas por outros prefeitos, a cidade estaria em melhores condições porque dessa forma Zé investiria nessas melhorias e não no pagamento de dívidas.

O imbróglio do concurso de 2020, ainda não homologado, também não passou batido, sobre o porquê de não ter sido homologado ainda. “O processo está na Câmara, o diálogo existe e não pode ter intransigência”.

Confira a entrevista na íntegra:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui