InícioRegião dos LagosCabo FrioPolícia Civil deflagra operação contra quadrilha que praticava golpes de vendas de...

Polícia Civil deflagra operação contra quadrilha que praticava golpes de vendas de imóveis em Cabo Frio

Uma mulher que trabalhava em um cartório foi presa por facilitar a falsificação de documentos na manhã desta quinta-feira (13)

A Polícia Civil deflagrou, na manhã desta quinta-feira (13), uma operação para desarticular uma quadrilha que praticava golpes de vendas de terrenos e imóveis em Cabo Frio e na Zona Oeste do Rio. Uma mulher, identificada como Natália Maria Diniz Ribeiro, foi presa por volta das 6h. A escrevente do cartório de notas foi capturada em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

De acordo com os investigadores, ela era uma das integrantes da organização criminosa e responsável pela falsificação dos documentos, por trabalhar em um cartório.

“O que mais chamou nossa atenção foi a participação de uma funcionária de um cartório de notas do Rio de Janeiro – ela dava credibilidade ao esquema. A vítima era levada ao cartório para fechar a compra do terreno. Essa funcionária do cartório, que é integrante da quadrilha, conferia toda a documentação e dava o ok para a vítima fazer o pagamento. Nesse momento, a vítima já estava sendo ludibriada, pagando milhares de Reais e achando que estava fazendo o negócio jurídico perfeito quando, na verdade, estava sendo vítima de um golpe”, explicou o delegado Ângelo Lages.

As investigações começaram em maio do ano passado, quando uma vítima compareceu à 66ª DP e informou que havia sido vítima de estelionatários e que teve um prejuízo de R$ 200 mil na compra de um terreno em Cabo Frio.

Além de facilitar a documentação no cartório, Natália também ajudava os elementos a identificar quais terrenos poderiam ser usados no golpe e escolher os alvos do esquema.

A “Operação Terreno Alheio”, da 66ª Delegacia de Polícia de Piabetá (66ª DP), busca cumprir oito mandados de prisão e 14 de busca e apreensão. Ainda no início da manhã, sete pessoas já estavam presas – entre elas, um homem apontado como líder da quadrilha e a mãe dele, em Campo Grande.

Segundo as investigações, a organização contava com integrantes responsáveis pela falsificação de documentos, possuía um núcleo voltado para captação de potenciais vítimas, além da funcionária do cartório, que passava a impressão de legalidade ao golpe. 

Além dos imóveis em Cabo Frio, os agentes também descobriram que terrenos na Zona Oeste carioca eram vendidos com escrituras falsas.

Letycia Rocha
Pós-graduanda em Jornalismo Investigativo pela Universidade Anhembi Morumbi; Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Veiga de Almeida. Atuou como produtora/repórter na Lagos TV e Coordenadora de Programação na InterTV - Afiliada da Rede Globo. Editora no Blog Cutback e colaboradora no jornal O Dia. Vencedora do 3º Prêmio Prolagos de Jornalismo Ambiental, na categoria web.
VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content