Mudanças no funcionamento de hospitais geram polêmica em Araruama

Prefeitura transferiu cirurgias e internações do Hospital Municipal de São Vicente para o Hospital Municipal Geral Jaqueline Prates. Segundo vereadores, transferências de pacientes foram feitas sem acompanhamento médico

186

A decisão da Prefeitura de Araruama de transferir cirurgias e internações do Hospital Municipal de São Vicente para o Hospital Geral Municipal Drª Jaqueline Prates, no Centro, tem gerado polêmica no município e foi um dos principais assuntos na sessão da Câmara desta terça-feira (10).

A vereadora Penha Bernardes (PL) questionou se o Hospital de São Vicente vai virar um posto de saúde da família. Afinal, o distrito tem mais de 30 mil munícipes e fica afastado do Jaqueline Prates.

Além disso, de acordo com Penha, pacientes foram transferidos sem médicos e apenas um profissional acompanhou três ambulâncias no translado.

Segundo a parlamentar, os moradores estão organizando uma manifestação contra a decisão. Penha e o vereador Oliveira da Guarda (MDB) se posicionaram e convidaram os outros edis para ir ao distrito de São Vicente conversar com a população. A medida foi considerada um retrocesso pelos edis.

Os vereadores da base Roberta Barreto (UNIÃO) e Luiz do Táxi (PL) defenderam a escolha da Prefeitura e afirmaram que não há condições do município manter dois hospitais com cirurgias e internações.

Os edis reiteraram que o hospital no Centro é o mais estruturado e preparado para receber os pacientes, mas o localizado no distrito de São Vicente continua com ambulatório 24 horas, permitindo ainda que pacientes fiquem em observação na unidade.

O vereador Russo (Avante) acrescentou que o hospital de São Vicente ainda vai passar por uma reforma. De acordo com Luiz do Táxi, a intenção da Prefeitura é fazer, em São Vicente, uma estrutura similar ao do Hospital Jaqueline Prates.

A reportagem procurou a Prefeitura de Araruama para se posicionar e, em nota, o município esclareceu que “todas as transferências foram feitas com acompanhamento de médicos da unidade JP e Upa, que foram de ambulância buscar os pacientes em São Vicente”.

Os pacientes estão satisfeitos, pois estão em um hospital de última geração, que foi construído para isso”, afirmou a Prefeitura.

Sobre o Hospital de São Vicente, o município explicou que continua com atendimento médico 24h e permanecerá assim, mas “os casos de internação de baixa complexidade vão para o novo Hospital Geral JP”.

Com relação às denúncias recebidas, a Prefeitura afirmou que “caso tal informação falsa tenha chegado aos integrantes desse veículo por meio de vereadores da oposição, informamos que os mesmos não têm permissão para entrar no hospital e atrapalhar o serviço, já que vigora uma liminar judicial que os proíbem de tal ação”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui