InícioRegião dos LagosArmação dos BúziosMPRJ recomenda força-tarefa em Búzios para coibir invasões de terras

MPRJ recomenda força-tarefa em Búzios para coibir invasões de terras

Construções irregulares e danos ambientais no município também estão no alvo do Ministério Público. A Recomendação foi expedida no último dia 6 e a prefeitura tem até 20 dias para informar se vai acatar, ou não, a orientação

O município de Búzios recebeu uma Recomendação do Ministério Público, no último dia 6 de dezembro, para que, em até 30 dias, crie uma força-tarefa integrada pela Guarda Municipal e órgãos responsáveis pela segurança pública, gestão ambiental e urbanística, com o intuito de coibir o avanço das construções irregulares, invasões de terra e a prática de crimes ambientais na cidade.

A Recomendação foi expedida pela 1ª Promotoria de Justiça de Armação dos Búzios e a 1° Promotoria de Justiça de Cabo Frio e os integrantes dessa FT deverão ser informados ao MPRJ com discriminação de função e órgão de lotação.

A medida requer que, ao identificar uma construção irregular de muros (sem qualquer alvará) com indício de prática de crime ambiental em contexto de invasão de terras, a força-tarefa promova, imediatamente, a demolição da obra em questão. Nos casos de crime ambiental, o documento orienta a apreender os instrumentos utilizados, inclusive maquinário de grande porte, e encaminhe imediatamente à 127ª DP (Búzios) para confecção do flagrante. Essas apreensões deverão ter local fixo, designado pela Prefeitura, para armazenamento.

A ação foi adotada após a Promotoria tomar conhecimento da existência de diversos grupos criminosos que se dedicam à invasão de terras em Búzios. De acordo com as investigações instauradas, primeiramente esses grupos ocupam irregularmente terrenos privados e neles praticam diversos crimes ambientais, como supressão de vegetação nativa, queimadas e dano à área de preservação permanente.

Em seguida, os ocupantes constroem nesses terrenos muros sem autorização – violando diversas leis urbanística -, baseados em licenças e declarações falsas que supostamente comprovam ocupação de anos no local. Com isso, essas áreas sofrem alienação e, através de contratos ilegais, o grupo “vende” as construções irregulares a vítimas particulares. Ainda de acordo com as investigações, grande parte das invasões ocorre em áreas de proteção ambiental e unidades de conservação.

A prefeitura de Búzios tem até 20 dias, a contar do recebimento da Recomendação, para informar ao MPRJ se acatará as orientações legais apontadas no documento.

Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Veiga de Almeida e pós-graduanda em Assessoria de Imprensa, Jornalismo Estratégico e Gestão de Crises pela Universidade Castelo Branco.

Já atuou como apresentadora na Jovem TV Notícias, em 2021. Escreve pelo Portal RC24h há três anos e atua, desde julho de 2022, como repórter do Jornal Razão, de Santa Catarina.

É autora publicada, com duas obras de romance e mais de 500 mil acessos nas plataformas digitais.

- Advertisement -
VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Mais Lidas

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -
- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img
Pular para o conteúdo