InícioCabo FrioLentidão no calendário de vacinação contra a Covid-19 em Cabo Frio gera...

Lentidão no calendário de vacinação contra a Covid-19 em Cabo Frio gera polêmica

Cidade realiza campanha de vacinação das 10h às 15h e em apenas três dias na semana

A vacinação contra a Covid-19 em Cabo Frio teve início no dia 20 de janeiro, quando a enfermeira Teresinha Correia da Silva, de 51 anos, foi a primeira beneficiada com a Coronavac.

Até o dia 26 de março, quando o vacinômetro foi atualizado pela última vez, 13.044 cabo-frienses já haviam recebido a primeira dose do imunizante e 2.554 receberam a segunda dose.

A prefeitura informou que, até 1º de abril, o município já recebeu 36.985 doses da vacina do Governo do Estado. Ou seja, apenas pouco mais de 42% dos imunizantes foram aplicados na população.

Nesta semana, a cidade deu início a vacinação da faixa etária entre 69 e 64 anos, entre terça e quinta-feira, somente três dias da semana. Essa lentidão na vacinação dos cabo-frienses tem deixado moradores irritados.

Nas redes sociais, são muitos comentários enfurecidos de internautas que questionam o porquê de apenas três dias na semana, enquanto outras cidades tem aplicado as vacinas, ao menos, de segunda a sábado, além do horário, que tem sido de 10h às 15h.

Em uma publicação recente na página oficial da Prefeitura de Cabo Frio no Facebook, a internauta Silvia Mario Cesar chegou a dizer que é um descaso a forma como a campanha está sendo realizada no município.

“Uma vergonha esse horário de 10 às 15h para vacinar e apenas três dias na semana! Quanto descaso”, comentou.

Já Virgínia Araújo comparou o calendário cabo-friense com o do Rio de Janeiro: “Está atrasado essa vacinação. No Rio já está vacinando 65 anos”.

PREFEITURA ESCLARECE

Questionada, a prefeitura disse que “os horários e dias para a aplicação da vacina são definidos de acordo com a logística da chegada dos imunizantes, disponibilidade de equipe e distribuição nos polos de vacinação”.

Também ressaltou que a imunização tem acontecido três vezes por semana nos polos e no drive thru; em duas vezes por semana, a vacinação é domiciliar, para acamados e enfermos. Mas a tendência é passar a acontecer todos os dias.

Essa demora rendeu, inclusive, a convocação do secretário de Saúde, Felipe Fernandes para prestar esclarecimentos na Câmara de Vereadores, nesta terça-feira (6).

Segundo o secretário de Comunicação da Prefeitura, Marcos Azevedo disse ao Portal RC24h, a vacinação vai passar a ser feita todos os dias, enquanto houver dose disponível. “Se for preciso vai ter até mutirão de vacinação”, garantiu.

Em relação a atualização do vacinômetro, a prefeitura disse que “o município está adequando o sistema gerador de banco dados da vacina para a nova atualização do SI-NPI, Programa Nacional de Imunizações do Governo Federal, que é responsável por reunir as informações de vacinação de todo o país”.

CALENDÁRIO UNIFICADO NO ESTADO

O governo do Rio de Janeiro lançou, no último dia 30 de março, o calendário único de vacinação da Covid-19 para o estado. O governador em exercício, Cláudio Castro, disse que a unificação do calendário foi um pedido dos prefeitos.

“A gente estava percebendo uma grande migração de pessoas de um município para outro [para se vacinar]. Os prefeitos solicitaram que o governo estadual fizesse um decreto criando esse calendário único. A intenção dele não é criar obrigação, é criar um balizador para que isso possa ser dialogado com os municípios”, afirmou Castro.

Três categorias serão priorizadas na imunização: profissionais de saúde abaixo de 60 anos, das áreas de segurança pública e da educação.

De acordo com o governador, o primeiro grupo abrange 324 mil profissionais de saúde que ainda não foram vacinados. Na área de segurança, serão imunizados, a partir de 12 de abril, agentes das polícias Militar, Civil, Federal, Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros, agentes penitenciários, Guarda Municipal, Defesa Civil, além de oficiais de Justiça.

“Além de as forças de segurança não terem parado em momento algum, há preocupação enorme de serem vetores de transmissão”, acrescentou Castro.

Na terceira categoria estão os profissionais da área de educação. “Precisamos de uma escola absolutamente segura. Precisamos tanto que os profissionais tenham tranquilidade para ir trabalhar quanto os pais de levar seus filhos para a escola sabendo que os trabalhadores da área de educação já estarão imunizados”.

O governo estadual ainda vai divulgar as datas do calendário único de vacinação.

Letycia Rocha
Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Veiga de Almeida. Atuou como produtora/repórter na Lagos TV e Coordenadora de Programação na InterTV - Afiliada da Rede Globo. Colabora no jornal O Dia e Blog Cutback.
VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content