InícioPolíticaLeilão da Cedae arrecada R$ 22,69 bilhões. Aegea levou dois blocos

Leilão da Cedae arrecada R$ 22,69 bilhões. Aegea levou dois blocos

Empresa vai manter a produção de água, e os demais serviços serão oferecidos pela iniciativa privada por um prazo de 35 anos

O leilão da Cedae – Companhia Estadual de Águas e Esgotos, realizado nesta sexta-feira (30), arrecadou, em três dos quatro lotes em disputa, R$ 22,69 bilhões em outorgas. A Aegea, hoje a segunda maior operadora privada do país, é a grande vencedora, tendo levado os blocos 1 e 4. O Bloco 3 não teve interessados.

Lembrando que, apesar da Alerj ter aprovado, nesta quinta-feira (29), o Projeto de Decreto Legislativo 57/21 para suspender a realização do leilão, o governador mandou que o processo seguisse normalmente.

Participaram da disputa quatro consórcios: Aegea, Iguá, Rio Mais Saneamento e Redentor. O Aegea, representado pela corretora Ativa, arrematou dois dos blocos (1 e 4) e o Iguá, representado pela corretora BTG, um bloco (2). Os outros dois consórcios saíram sem qualquer fatia da Cedae.

O Bloco 1, formado pela Zona Sul do Rio de Janeiro e mais 18 municípios do estado, foi considerado o mais atraente e foi o único a receber propostas dos quatro consórcios habilitados a participar do certame. A Aegea, que tem o fundo soberano de Cingapura e a Itaúsa entre seus acionistas, disputou o ativo com os outros três consórcios credenciados, e venceu com a oferta de outorga de R$ 8,2 bilhões, o que representa um ágio de 103,13% em relação ao previsto no edital.

A empresa levou ainda o Bloco 4, que inclui as regiões Centro e Norte do Rio e mais oito cidades com alta densidade demográfica, como Nova Iguaçu, Belford Roxo, Duque de Caxias e Nilópolis. A outorga mínima era de R$ 2,5 bilhões. Também fizeram ofertas os grupos liderados pela Equatorial Energia e pela BRK.

Já o Bloco 2 ficou com o consórcio liderado pela operadora Iguá, que tem participação do BNDESPar e do fundo de pensão canadense CPP Investments na companhia. O lote é formado pelos bairros da Barra da Tijuca e Jacarepaguá, na Zona Oeste da capital, e mais dois municípios. O grupo, que disputou o ativo com outros dois consórcios, ofereceu outorga de R$ 7,286 bilhões, o que representa um ágio de 129,68% em relação ao previsto no edital. O lote também era considerado atraente e recebeu ofertas de três consórcios habilitados a participar.

O Bloco 3, formado pela Zona Oeste e seis municípios, já era o menos visado pelo mercado, e exigia a menor outorga mínima, de R$ 908 milhões. A única empresa que chegou a formular oferta para o lote, a Iguá, retiou a proposta após vencer o Bloco 2. Já há uma concessão, apenas para serviços de esgoto, em operação na região do lote 3. A concessionária atual é controlada por BRK e Águas do Brasil.

A BRK Ambiental, atualmente a maior operadora privada de saneamento do país, fez ofertas conservadoras para os blocos 1, 2 e 4, e não conseguiu nem disputar com os demais grupos no viva-voz.

Confira o resultado final do leilão de concessão da Cedae:

Bloco 1: O valor mínimo de outorga era R$ 4,036 bilhões

Vencedora: Aegea – R$ 8,2 bilhões (ágio de 103,13%)

Bloco 2: O valor mínimo de outorga era R$ 3,172 bilhões

Vencedora: Iguá – R$ 7,28 bilhões (ágio de 129,68%)

Bloco 3: sem vencedor – a única proposta havia sido apresentada pelo Aegea, que optou por retirá-la antes que fosse aberta, o que lhe foi permitido já que havia arrematado o bloco leiloado antes dele, o 4.

Bloco 4: O valor mínimo de outorga era R$ 2,5 bilhões

Vencedora: Aegea – R$ 7,203 bilhões (ágio de 187,75%)

*Com informações de O GLOBO

VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content