Frequentadora denuncia ausência de protocolos de prevenção do Covid-19 no circo em Cabo Frio

Denúncia aponta que comprovante de vacinação não foi pedido, além do distanciamento e uso de máscara não terem sido respeitados

1020

Frequentadores do Babilônia Circus, instalado próximo à rodoviária de Cabo Frio, estão insatisfeitos com o tratamento que o local tem dado aos cuidados com a transmissão da Covid-19. Uma internauta que foi ver o espetáculo nesta terça-feira (4) afirmou que os protocolos de prevenção não estão sendo seguidos e o local não exige comprovante de vacinação, conforme anunciado no site.

“Ao entrar ninguém pediu qualquer comprovante, ao começar o espetáculo as pessoas começaram a sentar coladas na gente. Eu pedia que respeitassem o distanciamento e alguns apenas zombavam… eu estava com três crianças e fiquei de mãos atadas”, disse a mulher.

Diante das circunstâncias, ela decidiu entrar em contato com a página oficial do circo pelo Instagram. Eles justificaram apenas que estão seguindo o Decreto Estadual.

A Prefeitura de Cabo Frio afirmou que o decreto municipal em vigência não prevê que bares, restaurantes e outros locais exijam o comprovante de vacina para as pessoas que forem entrar nos estabelecimentos, mas o uso de máscaras é obrigatório até mesmo em espaço aberto no município. Cabe ao estabelecimento exigir e controlar o uso e ao frequentador, respeitar a norma.

“Os titulares de autorização para o comércio ambulante e os permissionários de bens públicos, no exercício da sua atividade econômica, tais como barracas, quiosques, box, trailers, e outros, deverão agir como fiscalizadores do uso de máscaras de proteção facial, devendo exigir o uso destas de forma correta e por tempo integral”, diz o documento.

O decreto ainda prevê outras normas como vedar o ingresso e a permanência de colaboradores, clientes e usuários que não estejam utilizando máscaras de proteção facial; manter à disposição e em locais estratégicos, como na entrada do estabelecimento, nos corredores, nas portas de elevadores, balcões e mesas de atendimento, álcool em gel 70% (setenta por cento) ou preparações antissépticas ou sanitizantes de efeito similar, para utilização dos clientes, que deverão realizar a higienização das mãos ao acessarem e saírem do estabelecimento; providenciar, na área externa do estabelecimento, o controle de acesso, a marcação de lugares reservados aos clientes, a organização das filas para que seja mantida a distância mínima de 1,00m (um metro) entre cada pessoa, entre outros.

Conforme a organização do circo, todas as normas do protocolo de saúde, tais como distanciamento, estão sendo seguidas.

“O que ocorre, quem vem em família, podem se sentar juntos. A capacidade de lotação de público é de 50%, mesmo já tendo 100% liberado. É realizado aferimento de temperatura na entrada, nossa tenda principal e lona do circo são arejadas e com as lonas laterais suspensas, além de interior com 20 ventiladores para ventilação”, disse em nota.

Ainda segundo os organizadores, é necessário o comprovante de vacinação da Covid-19 e, durante as apresentações, o apresentador, informa sobre o uso obrigatório de máscara nas dependências do circo.

“Disponibilizamos também álcool gel e possuímos todas as documentações em dia dos órgãos competentes, como alvará de Prefeitura e de funcionamento, do Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária, Polícia Militar, Ordem Pública, Meio Ambiente”, entre outros, finaliza a nota.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui