Fiscais orientam sobre proibição de caixas de som na Praia do Forte, em Cabo Frio

Ação faz parte da campanha "Na Praia, bom é o som do mar", que segue também em outros pontos da cidade

520

Quem estava curtindo a Praia do Forte, em Cabo Frio, nesta sexta-feira (18), pôde perceber que Fiscais de Posturas, juntos ao Grupamento Operacional de Praia da Guarda Civil Municipal, realizaram uma ação com objetivo de orientar sobre a proibição do uso de caixas de som na areia.

A ação faz parte da campanha “Na praia, bom é o som do mar”, que proíbe o uso de equipamento sonoro em locais públicos, conforme determina a legislação. De acordo com o coordenador geral de Fiscalização de Posturas, Paulo César Alves, os fiscais abordaram os banhistas para informar e explicar as regras de ordenamento da praia.

“A cada banhista abordado, seja morador de Cabo Frio ou turista, foi apresentado o regramento. O objetivo é orientar a todos que evitem levar os equipamentos sonoros para as praias, pois os mesmos poderão ser repreendidos com multas e apreensão”, explica o coordenador geral de Fiscalização de Posturas.

Ainda segundo ele, a ação continuará neste sábado (19) e no domingo (20), nas praias do Peró e das Conchas.

ORDENAMENTO DA ILHA DO JAPONÊS

Também nesta sexta-feira (18), o coordenador geral de Posturas, Paulo César Alves, e o secretário adjunto de Gestão Ambiental, Diego Mureb, estiveram na Ilha do Japonês, na parte continental, para fazer uma avaliação do ordenamento e uso de solo por parte do comércio instalado no local.

De acordo com Paulo César, trata-se do processo que está em curso para o reordenamento do local.

“Temos recebido muitas reclamações quanto ao excesso de mesas, cadeiras, ombrelones e sapês. Hoje estivemos na Ilha para verificar e analisar a situação para que possamos, posteriormente, nos reunir com os licenciados para encontrar uma forma de ordenar o espaço, sempre levando em conta a preservação ambiental da Ilha do Japonês”, explica Paulo César.

Ele destaca, ainda, que qualquer ação a ser realizada na área será discutida com os comerciantes licenciados.

“Nosso objetivo é realizar um ordenamento justo, priorizando a preservação do meio ambiente e o direito de todos de uso daquele espaço espetacular, que é a Ilha do Japonês”, finaliza PC.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui