InícioDestaqueFalta de profissionais da Saúde em Rio das Ostras leva médica à...

Falta de profissionais da Saúde em Rio das Ostras leva médica à delegacia e causa mal-estar entre vereador e Conselho de Enfermagem regional

Médica pediatra foi levada a delegacia ao se recusar a atender sozinha emergência lotada; vereador xingou enfermeiros da UPA em vídeo na internet e leva invertida do conselho regional da profissão

Esses últimos dias mostraram que a Saúde de Rio das Ostras aparentemente está desmoronando como um castelo de cartas. Tudo começou na última semana quando uma paciente internada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), com trombose, fez um vídeo denunciando a situação precária da unidade e pedindo socorro. As imagens chegaram até o vereador Marciel Nascimento (PL), que esteve na UPA no domingo (17) e constatou que faltavam profissionais no plantão do dia.

Segundo o parlamentar foi confirmada pela administração que cinco médicos e seis técnicos de enfermagem não compareceram ao trabalho. Porém, ele xingou, em vídeo, vários profissionais de “vagabundos” e que os mesmos seriam “do bando do prefeito Marcelino da Farmácia”, o prefeito da cidade.

O vídeo ganhou repercussão na internet e chegou até o Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro (Coren-RJ) que emitiu uma nota de repúdio afirmando que o político sabe das “exonerações em todo o município, inclusive, a pedidos de muitos profissionais, por conta de salários abusivos e péssimas condições de trabalho, sendo que os poucos técnicos de enfermagem que restaram estão sem receber seus proventos”.

saúde rio das ostras

Representantes do órgão foram nesta quarta-feira (20) ao município para apurar o que acontece com a Saúde municipal, exigir a convocação dos profissionais que passaram no concurso público. O órgão também exigiu retratação pública ao vereador Marciel Nascimento sobre as ofensas proferidas.

Inclusive, atos fiscalizatórios do Coren-RJ apontam outras irregularidades, como dimensionamento inadequado nas unidades de saúde. Segundo o órgão, são 18 leitos com ocupação de 38 pacientes internados, alcançando uma taxa de ocupação de 244%. Os profissionais chegam a superar 24 horas ininterruptas, com remuneração de um salário mínimo.

EMERGENCIA INFANTIL COM PROBLEMAS

Como se tudo isso não bastasse, também no domingo (17), uma médica foi encaminhada para Delegacia de Rio das Ostras (128° DP) após de recusar a atender crianças que estavam aguardando consulta na emergência pediátrica anexa ao Hospital Municipal Naelma Monteiro, no Parque Zabulão.

Segundo informações da Polícia Civil, ela foi encaminhada por policiais militares para prestar esclarecimentos do motivo do não atendimento às crianças, mas não ficou presa na 128ª DP. Na Polícia Civil, o registro foi feito como Omissão de Socorro, as investigações vão continuar e pessoas que não foram atendidas pela médica serão ouvidas. A Civil quer ouvir ainda a Secretaria de Saúde de Rio das Ostras.

Segundo informações de populares no local, a médica pediatra estava atendendo sozinha todas as demandas do dia, casos emergenciais, pois não havia outro profissional de saúde disponível na rede pública, e sobrecarregada a mesma preferiu parar o atendimento.

A Prefeitura de Rio das Ostras, informou que o atendimento de emergência pediátrica está, atualmente, concentrado no Hospital Municipal e que a Administração Municipal está providenciando o recrutamento de novos pediatras para atuação na UPA 24h, para retomar o atendimento pediátrico na Unidade o mais breve possível.

 A condução da médica provocou o fechamento total dos atendimentos pediátricos da unidade. O Conselho Regional de Medicina do Rio (CREMERJ) se posicionou sobre o caso condenando a atitude da médica, mas, ao mesmo tempo, está prestando apoio jurídico à profissional e fará todas as apurações necessárias em relação ao caso.

CONTAS DA SAÚDE REPROVADAS

Todos esses casos que aconteceram nos últimos dias são apenas sintomas de um problema maior. Que também está sendo demostrado por meio da reprovação de contas da Saúde Municipal referentes ao ano de 2020. O julgamento do Relatório Anual de Gestão 2020 da Secretária Municipal de Saúde foi realizado pelo Conselho Municipal de Saúde, nesta terça-feira (19). O conselho também indicou no documento a necessidade de uma nova auditoria e abertura de nova tomada de contas dos contratos entre o município e a empresa RG Consultoria e Planejamentos.

VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content