COLUNISTA RC24H / As perspectivas dos jovens recém-formados

"Vejo com tristeza o fato de pessoas que se dedicaram anos para cursar uma faculdade e não conseguirem emprego em sua área devido à falta de planejamento dos governos municipais", avalia o vereador e pré-candidato a deputado federal Thiago Vasconcelos

257

Existe uma visão majoritária de que um diploma universitário abre portas de empregos com bons salários, sendo a melhor maneira de alcançar uma melhoria de vida.

Ocorre que os atores políticos municipais pouco discutem o desenvolvimento econômico da cidade, sendo mínimo o incentivo para fomentar a vinda de grandes empresas que gerem vagas para os recém-formados.

Tendo em vista a falta de estrutura e vagas de emprego em Cabo Frio, restam poucas opções aos recém-formados em nossa cidade: buscar oportunidade em outros municípios, ou permanecer na cidade sendo mal remunerados, ou trabalhar em locais sem relação com sua área de formação.

Certamente a formação acadêmica é válida, porém vejo com tristeza o fato de pessoas que se dedicaram anos para cursar uma faculdade, em sua maioria pagando com enorme dificuldade e não conseguirem emprego em sua área devido à falta de planejamento dos governos municipais.

Nesse contexto, entende-se a importância dos cursos técnicos e tecnológicos, pois há um grande déficit em profissões que atendam nossas demandas municipais enquanto diversas pessoas tenham quer buscar trabalhos em outros municípios.

Exemplificando, a empresa calçadista Grendene, empregou mais de 15 mil funcionários no município de Sobral-CE. Medidas foram implantadas para capacitar tecnicamente a mão de obra local, ao invés de contratarem pessoas de outros lugares. Razão pela qual a empresa obteve maior produtividade e os efeitos positivos refletiram em toda a localidade, melhorando a economia, além do maior acesso à educação.

Nossa região é conhecida nacionalmente pelo potencial das belezas naturais, mal explorado, diga-se de passagem, que poderiam ser formas de aumentar o número de empregos, renda e abrir um novo olhar para o jovem.

É importante ressaltar que durante anos ficamos reféns dos royalties, fazendo com que os governantes passassem a pautar suas gestões apenas em práticas assistenciais. Portanto, observa-se que passamos do momento de implantar mais cursos técnicos qualificatórios e fomentar a vinda de grandes empresas, a fim de explorar o potencial da cidade e que os jovens possam atuar nas áreas que precisam de desenvolvimento na cidade.

Thiago Vasconcelos é advogado, pós-graduado em Gestão Pública, vereador e pré-candidato a deputado federal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui