InícioRegião dos LagosCabo FrioCabo Frio tem duas escolas contempladas com verba para aplicação em acessibilidade

Cabo Frio tem duas escolas contempladas com verba para aplicação em acessibilidade

Unidades de ensino dos bairros Vila Nova e Jardim Peró já receberam recursos

A Prefeitura de Cabo Frio foi selecionada para receber recursos financeiros do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), por meio do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). A verba deve ser aplicada na acessibilidade das salas de recursos multifuncionais específicas ou bilíngues de surdos.

A inscrição para receber o recurso ocorreu no mês de fevereiro deste ano. O resultado da seleção foi divulgado na última sexta-feira (2) e os valores já estão disponibilizados nas contas das escolas.

Duas unidades escolares de Cabo Frio estão contempladas: as escolas municipais de educação especial (Pré II ao Ensino Médio) Arlete Rosa Castanho, no bairro Vila Nova, e José Bonifácio Ferreira Novellino (1º ao 5º ano), no Jardim Peró. Cada uma recebeu R$ 32 mil.

Os recursos deverão ser aplicados nos seguintes quesitos: aquisição de itens e materiais pedagógicos; cadeiras de rodas, bebedouros acessíveis; produtos de tecnologia assistiva, além de equipamentos e materiais para o atendimento educacional especializado bilíngue de surdos.

A Escola Municipal Arlete Rosa Castanho é a única escola bilíngue e especializada para alunos surdos na Região dos Lagos, sendo referência para o atendimento na sala de recursos para esse público. A chegada dessa verba permitirá melhorias e aprimoramento dos recursos para atendimento dos alunos.

“Poderemos investir em tecnologias e ferramentas especializadas para oferecer aos nossos estudantes mais conhecimento, e ainda ampliar o acesso à educação de qualidade e bilíngue, que é de suma importância na comunicação com a comunidade surda”, comentou Géssica Rosa Mendes, diretora.

Para Valéria Reynaldo, diretora da Escola Municipal José Bonifácio Ferreira Novellino, a escolha foi uma conquista importante, já que a unidade atende cerca de 20 estudantes inclusos e ainda não havia sala de recursos especializada.

“Os alunos da educação inclusiva, matriculados em nossa escola, precisavam se deslocar para outras unidades que dispunham de salas de recursos, mas que eram distantes de suas residências. Esse deslocamento se tornava desgastante e custoso, e diante desse fato fomos buscar a solução, que chegou agora em 2021, com a aprovação do plano de atendimento e liberação dos recursos. Estamos radiantes e vamos nos dedicar para que a sala de recursos em nossa escola transforme a vida dos alunos e da comunidade escolar“, comemorou.

Letycia Rocha
Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Veiga de Almeida. Atuou como produtora/repórter na Lagos TV e Coordenadora de Programação na InterTV - Afiliada da Rede Globo. Editora no Blog Cutback e colaboradora no jornal O Dia.
VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content