Cabo Frio ganha na Justiça para manter o Ensino Médio no município

Pedido de transferência do serviço para o Estado, feito pelo Ministério Público para o ano letivo de 2023, foi indeferido

414

A Prefeitura de Cabo Frio ganhou uma ação na Justiça que impede a transferência do Ensino Médio para o Governo do Estado. O pedido foi feito pelo Ministério Público com vistas ao ano letivo de 2023. A sentença é do juiz em exercício da 2ª Vara Cível da Comarca de Cabo Frio, Vinícius Marcondes de Araújo, e cabe recurso.

Em dezembro do ano passado, o presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ), desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira, já havia derrubado uma liminar que impedia a transferência para o ano letivo que está em curso, para não afetar o planejamento, visto que centenas de alunos já haviam se matriculado.

Assim como naquela ocasião, a Justiça deu razão aos argumentos da Procuradoria-Geral do Município, de que cabe somente ao Poder Executivo Municipal a decisão sobre onde alocar as verbas orçamentárias no plano educacional.

A pretensão do MP de que o Poder Judiciário redirecione os recursos foi vista pelo magistrado como tentativa de interferência de um poder sobre o outro.

“O controle judicial de políticas públicas constitui medida de caráter excepcional em prestígio ao princípio da separação dos poderes. O que prevalece é o respeito aos critérios utilizados pelo Poder Executivo, a quem por preceito de índole constitucional cabe definir seus planos de ação na questão educacional”, diz trecho da decisão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui