Artista cabo-friense estreia documentário “O Pé de Guandu”, nesta sexta (17)

O filme de Gabriela Estolano é uma homenagem à sua avó e às mulheres que tiveram seus direitos violados pela violência de gênero

415
Dona Cacilda Soares de Oliveira, avó de Gabriela, é a personagem principal do documentário / Imagem: Arquivo Pessoal

A artista cabo-friense Gabriela Estolano estreia, nesta sexta-feira (17), às 19h, o documentário “O Pé de Guandu”, neste link. Idealizado por ela, com a direção e edição de Higor Nery, o filme trata da história de sua avó, Cacilda Soares de Oliveira, natural de Bacaxá, em uma homenagem a ela e a todas as mulheres que tiveram seus direitos violados por causa da violência de gênero.

Segundo Gabriela, certa vez sua avó lhe mostrou a identidade e, no lugar de uma assinatura, tinha a palavra “analfabeta” escrita em caixa alta. A artista questionou o fato e o motivo dela não ter ido a escola e, em resposta, soube que sua avó chegou a ir, mas teve que sair porque, na região, rodava um boato que um homem estava sequestrando as alunas no caminho da escola para estuprá-las.

“Por causa disso, a minha avó até hoje não sabe nem ler e nem escrever. Ela já tem 76 anos”, conta ela.

O documentário ganhou o nome de “O Pé de Guandu” por ser o alimento que dona Cacilda mais gosta de comer, e por ser um alimento que é de fácil cultivo na região.

Perguntada sobre as expectativas da estreia, principalmente por contar a história de alguém tão próximo como dona Cacilda, Gabriela responde que:

“Estou muito ansiosa para ver a reação da minha avó assistindo sobre a história dela! Quero que ela se sinta importante, que a história dela é importante, apesar dos pesares. Esse documentário é uma homenagem a ela e eu estou ansiosa para saber se ela vai gostar.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui