InícioRegião dos LagosMacaé32º Batalhão reduz índices criminais e soluciona 4 casos de homicídio em...

32º Batalhão reduz índices criminais e soluciona 4 casos de homicídio em menos de um mês

Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), o comparativo do mês de setembro de 2020, com o mesmo período deste ano, caiu em 17,4% na categoria letalidade violenta, 17,2% no roubo de rua e 33,3% no roubo de carga

32º Batalhão de Polícia Militar (32º BPM) responsável pelo policiamento ostensivo nas cidades de Macaé, Rio das Ostras, Casimiro de Abreu, Conceição de Macabu, Quissamã e Carapebus, divulgou o balanço dos índices criminais do mês de setembro de 2020 e 2021. De acordo com os dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), o comparativo do mesmo período nos dois anos caiu consideravelmente, nas categorias, letalidade violenta, roubo de rua e roubo de carga.

Os índices do ISP mostram que, no comparativo de setembro de 2020/2021, os crimes classificados como letalidade violenta tiveram uma queda de 17,4%, com 23 registros em 2020 e 19 neste ano. A modalidade roubo de rua registrou 58 casos no ano passado, e 48 em 2021, caindo em 17,20%. Já os delitos identificados como roubo de carga tiveram uma redução de 33,3%, com 3 casos registrados em 2020, e 2 neste ano. Os dados da Segurança Pública mostram ainda que, o roubo de aparelho celular caiu em 13,3%, com 15 e 13 registros, em 2020 e 2021, respectivamente.

Além da redução dos índices criminais, o 32º BPM vem atuando de forma efetiva no combate aos casos de homicídio. Do dia 12 de setembro ao dia 5 de outubro, as equipes policiais prenderam em flagrante 5 acusados de 4 assassinatos na região.

Em menos de um mês, solucionamos 4 crimes hediondos. Sendo 3 homicídios e um feminicídio, todos em flagrantes, com menos de 24h após o delito. Essa é a resposta do comprometimento da Polícia Militar (PM) com a sociedade”, afirmou o Comandante Tenente Coronel Fábio Corrêa, que completará no próximo dia 9 de outubro, um ano à frente do 32º Batalhão.

Relembre os casos:

Taxista macaense degolado – O mais recente crime que chocou a população macaense, foi o do taxista Jorge Maxi da Silva, de 61 anos, que morava e trabalhava em Macaé, degolado, após ser assaltado, por supostos passageiros, próximo ao trevo do Andorinhas, em Quissamã, na BR 101.

Segundo a PM, a atrocidade aconteceu na madrugada desta segunda (4) para terça-feira (5), e após recorrentes buscas na mata, os dois assassinos foram encontrados, no final da tarde de terça (5), às margens da rodovia, com dois celulares da vítima e a quantia de R$ 54. Os delinquentes foram presos pela 2ª CIA do 32º BPM e encaminhados à 122ª Delegacia de Conceição de Macabu.

Ainda segundo a polícia, os acusados confessaram o crime friamente, contando que após luta corporal com a vítima, passaram a faca na região do pescoço do taxista. Falaram ainda que, o plano para enganar Jorge Maxi, foi informar que iriam para a cidade de Campos dos Goytacazes, e, de lá, viajariam com destino à Bahia.

O comando da Polícia Militar ressaltou que tem trabalhado de acordo com a mancha criminal e que já tem um projeto em andamento para aumentar o policiamento na Rodoviária de Macaé.

Jovem de 21 anos assassinada pelo namorado – Outro caso que revoltou a região, foi o de feminicídio, no bairro Paraíso em Conceição de Macabu. Uma jovem de 21 anos, identificada como Thalice Costa, foi morta a tiros na frente da filha de cinco anos, na tarde do dia 28 de setembro, pelo ex-companheiro, o assassino confesso Felipe Rodrigues Pedroso, de 26 anos.

Segundo a PM e a Civil, a jovem estava em casa, quando foi surpreendida pelo ex-namorado, que chegou atirando cerca de oito vezes e fugiu em seguida. A filha da vítima é de um relacionamento anterior.

Felipe foi encontrado escondido na propriedade do seu padrasto, e foi preso em flagrante pelos crimes de homicídio qualificado, feminicídio e roubo, em uma região entre Conceição de Macabu e Serrinha, distrito de Campos, poucas horas após cometer o crime.

A prisão foi possível devido ao trabalho de buscas realizado pelas Polícias Civil e Militar. Na confissão, Felipe afirmou que matou Thalice por suposta infidelidade com um amigo. Também assumiu estar envolvido com o tráfico de drogas local.

VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content