InícioCovid-19Vacinas reservadas para 2ª dose na Região dos Lagos: a polêmica entre...

Vacinas reservadas para 2ª dose na Região dos Lagos: a polêmica entre ‘segurar’ ou fazer uso imediato

Infectologista explica se medida adotada por prefeitos é a melhor estratégia. Com 18,42% da população vacinada, Araruama tem maior índice entre as dez cidades de cobertura do Portal RC24h

A aplicação das doses das vacinas contra o coronavírus nas cidades da Região dos Lagos tem sido, constantemente, alvo de polêmicas. Em março, o Ministério da Saúde liberou o uso de vacinas reservadas para a aplicação da 2ª dose, como forma de ampliar o número de vacinados no Brasil. Diversos municípios adotaram a medida e, agora, sofrem com a falta de imunizantes para o que precisam receber o reforço.

Um exemplo próximo à região é a cidade de Duque de Caxias. O município adiantou a vacinação para grupos não prioritários e, atualmente, não tem estoque para a aplicação da segunda dose, o que pode prejudicar a eficácia do imunizante, conforme especialistas.

Em Cabo Frio, a população pede para que as vacinas sejam aplicadas de forma mais ampla, sem a garantia de estoque. O prefeito José Bonifácio já afirmou que não seguirá o que foi feito em Caxias e vai continuar mantendo o estoque de segurança do imunizante para a dose de reforço.

A mesma estratégia tem sido adotada em Araruama, Arraial do Cabo, Armação dos Búzios, Iguaba Grande, Macaé, Rio das Ostras, São Pedro da Aldeia, Saquarema e Maricá – que, inclusive, nos últimos dias anunciou que o estoque de vacinas para a primeira dose está esgotado e segue vacinando apenas a população que precisa do reforço.

Em declaração exclusiva ao Portal RC24h, a médica infectologista dra. Apparecida Monteiro garantiu que os prefeitos estão tomando a decisão correta.

“Temos que priorizar a segunda dose. Se o tempo entre as aplicações for muito longo, não saberemos sobre a eficácia. Os estudos que temos são com o tempo estabelecido da vacina. Temos que seguir o calendário”, explica.

As entregas de remessas dos imunizantes tem tido atrasos e não há como garantir que chegarão a tempo nas cidades, caso todas as doses sejam utilizadas em um primeiro momento.



CONFIRA ÍNDICE DE VACINAÇÃO NA REGIÃO

Com 18,42% da população vacinada com a primeira dose do imunizante contra o coronavírus, Araruama lidera o ranking da campanha de vacinação na Costa do Sol. O município tem 134.293 habitantes e 24.725 moradores já receberam a vacina. Enquanto isso, Saquarema, que tem 90.583 moradores, assume a última posição, com 9,31%, ou seja, 8.438 vacinados.

Armação dos Búzios tem índice de 17,89%, com 6.169 vacinados, de um total de 34.447 moradores.

Arraial do Cabo já vacinou 4.874 moradores, ou seja, 15,93%. A cidade tem 30.593 habitantes.

Em Cabo Frio, dos 230.378 munícipes, apenas 21.604 (9,38%) receberam a primeira dose da vacina.

Iguaba Grande, a menor cidade da região, com 28.837 moradores, imunizou, com a primeira dose, 4.641 habitantes, garantindo o índice de 16,83%.

Já em Macaé, a cidade com mais moradores da Costa do Sol (261.501), 28.889 foram vacinados – 11,05% dos habitantes.

Rio das Ostras mantem o índice de imunizados com a primeira dose da vacina em 11,48%. Foram 17.821 vacinados, dos 155.193 moradores da cidade.

E, com 106.049 habitantes, São Pedro da Aldeia já imunizou 13.932 moradores (13,14%).

Até o fechamento desta matéria, a prefeitura de Maricá não respondeu sobre a quantidade de vacinados com a primeira dose na cidade. Os dados foram coletados até às 16h desta quinta-feira (22).

Letycia Rocha
Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Veiga de Almeida. Atuou como produtora/repórter na Lagos TV e Coordenadora de Programação na InterTV - Afiliada da Rede Globo. Colabora no jornal O Dia e Blog Cutback.
VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img
- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Skip to content