Famílias de pacientes internados em hospitais de Cabo Frio são alvos do golpe do exame

Golpista liga para a família fingindo ser do hospital e pede dinheiro para compra de medicamentos ou realização de exames. Associação alerta que isso não é uma prática dos hospitais

984

Famílias de pacientes internados em hospitais no estado do Rio de Janeiro estão sendo vítimas do golpe do exame. O golpista liga para a família do paciente fingindo que é da unidade de saúde para pedir dinheiro para realização de exames e procedimentos, informando número de conta onde pode ser feito o depósito.

De acordo com as famílias, que foram contactadas, o golpista muitas vezes liga diretamente para o quarto do paciente e acaba falando com o acompanhante. Em determinadas vezes, dão o nome dos médicos e dados do paciente para extorquir os familiares.

Na terça-feira (29), uma reportagem veiculada no jornal da TV Globo, o Bom Dia Rio, mostrou que a polícia já está investigando o golpe do exame que está sendo praticado em hospitais de Cabo Frio.

A mãe de uma adolescente de 16 anos, que está internada, conta como foi o contato feito pelos golpistas.

“A minha filha foi internada. E nem meia hora depois que eu tinha chegado no quarto, uma pessoa ligou para o quarto, falando que era o médico, deu nome, falou que minha filha precisaria de três remédios, que eu teria que depositar mais de R$ 3 mil na conta. Eu percebi que era um golpe, falei que infelizmente, então, ela ia ficar sem remédio”, disse a mãe que não quis se identificar.

Outra pessoa abordada pelos golpistas foi a dona de casa Gina dos Santos Silva, que estava com marido hospitalizado.

“Eu teria que depositar um dinheiro na conta, um total de R$ 5.900. Quando eles falaram do número da conta, eu me liguei e falei: eu vou aí no hospital conversar com o senhor pessoalmente. Aí falaram: está falando que é golpe? Se for golpe sua sobrinha também está envolvida, porque foi ela que deu o número”, disse Gina que dias depois perdeu o marido, mas por outras complicações de saúde.

Mas a parente de um paciente internado num hospital na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, não teve a mesma sorte. Ligaram para ela dizendo que era preciso comprar medicamentos e como ela ficou desorientada com a suposta piora do doente, acabou depositando mais de R$ 1.900 na conta dos golpistas.

Para evitar cair no golpe do exame – quando pessoas pedem dinheiro ou que se faça depósito em determinada conta para a realização de exames ou compra de medicamentos – os parentes de pacientes internados devem entrar em contato diretamente com a administração do hospital, conversar pessoalmente com os médicos.

O presidente da Associação dos Hospitais Particulares do Estado do RJ, Graccho Alvim, disse que não é praxe dos hospitais ligarem para os parentes de paciente pedindo o depósito de dinheiro em conta. Ele faz um alerta.

“É importante salientar que os hospitais têm noção do que está acontecendo e eles informam tanto na entrada quanto nos elevadores, que isso não é uma prática comum dos serviços. Nenhum valor deve ser depositado, a não ser realizado diretamente na recepção do hospital”, disse Alvim.

*Com informações do G1.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui