ePrivacy and GPDR Cookie Consent by Cookie Consent BOCA MIÚDA: OS BASTIDORES DA POLÍTICA NA REGIÃO DOS LAGOS NESTA SEGUNDA-FEIRA (16) | RC24H | O Portal de Notícias da Região dos Lagos

BOCA MIÚDA: OS BASTIDORES DA POLÍTICA NA REGIÃO DOS LAGOS NESTA SEGUNDA-FEIRA (16)

Em Cabo Frio, José Bonifácio (PDT) é o velho marinheiro de Paulinho da Viola; O desgaste e a vitória nas eleições de Arraial do Cabo; Candidato a prefeito de Búzios chega à vitória depois de muita 'surra'; Vitória acachapante em Iguaba Grande; Prefeito de São Pedro da Aldeia e a transição; Prefeita reeleita de Araruama não quer saber de folga... E muito mais!


VELHO MARINHEIRO

A festa da vitória de Zé Bonifácio (PDT) e Magdala Furtado (PODE) foi linda. Mas lindo mesmo foi seu discurso. Conciliador, equilibrado, sereno e sábio. Pediu que não criticassem os derrotados, voltou a reafirmar seu compromisso de fazer um secretariado com 50% de mulheres. Mas sem dúvida, o ponto alto foi o anuncio de municipalização do CIEP do Manoel Corrêa como forma de agradecer a comunidade por ter votado nele em peso. Zé disse que quer resgatar o projeto de Darcy Ribeiro e Brizola com ensino integral. Não prometeu antes de ser eleito. Disse que fará, depois de eleito. Enquanto o adversário prometia militarização das escolas, ela anunciou a municipalização de um CIEP. Com esse jeitinho, Zé conseguiu fazer os idosos saírem para votar (flagramos uma idosa indo votar de andador) e os jovens também. Cativou dos bolsonaristas aos petistas. Dos héteros aos LGBTs. Dos cristãos aos ateus. Foi devagar avançando com sua bicicletinha, que venceu a Harley Davidson do garotão. Muitos desconfiavam se conseguiria. Mas como disse Paulinho da Viola "faça como o velho marinheiro. Que durante o nevoeiro, toca o barco devagar". Tocou e chegou na frente. 

 

 

 

OS ARTICULADORES

É preciso destacar alguns nomes que foram fundamentais para essa vitória: Aquiles Barreto (PT), Janio Mendes (PDT) e Jefferson Vidal (Avante). Os três eram massacrados diariamente. Mas não se abateram. E Zé foi íntegro. Não os escondeu. E esse trio foi determinante nas articulações que garantiram a construção dessa vitória de Zé. O PDT sempre teve dificuldades para aglutinar. Aquiles e Jefferson foram figuras fundamentais para a campanha ganhar volume. A caminhada de sexta-feira (13) foi uma prova de como os dois souberam movimentar as ruas. Botaram um mar de gente atrás do Zé. Aquiles, mais particularmente, hoje se consagra como o papa da política cabo-friense. Nada como um dia após o outro. Os três foram muito humilhados, mas agora, saíram exaltados. Já os seus detratores, estes serão obrigados a engolir e respeitá-los. 

 

 

 

AS PESQUISAS

A última semana foi um festival de ações derrubando pesquisas de institutos sérios, como o Ágora e o Orbis (esta última contratada pela Engeluz e Hotel Paradiso Del Sol). Mas o que ficou claro é que os levantamentos estavam certos. Não só aqui em Cabo Frio, como em Búzios, Araruama e São Pedro. Nesse vídeo abaixo, um apoiador do Serginho desqualifica uma das pesquisas me acusando de ser “esquerdista”, ou seja, sugerindo que seríamos capazes de manipular dados. O tempo passou e a verdade esta aí. Já o Serginho e seu grupo precisam tomar doses cavalares de humildade para ver se aprendem alguma coisa com a vida. A derrota, quem sabe os ensinará.

 

 

 

 

ONDE FOI QUE EU ERREI?

Falando em Serginho, um dia depois da derrota o deputado postou um vídeo para agradecer os 33.920 votos e desejar sorte a José Bonifácio (PDT). "A cidade está acima de tudo", disse ele. A propósito, vale aqui refletir sobre a derrota do republicano. Onde será que errou durante sua campanha? Devemos lembrar que algumas das apostas de Serginho foram fatais, principalmente a polarização política na cidade, uma disputa entre direita e esquerda. Essa não vingou, como também não compensou o esforço hercúleo em arrancar uma fala de Bolsonaro sobre sua candidatura a prefeito de Cabo Frio. Como cabo eleitoral, o presidente não agregou vantagem. Será que se Serginho não fosse tão bolsonarista o resultado teria sido outro? Muitos acreditam que sim. 

 

 

 

VERGONHA, VEXAME E HUMILHAÇÃO

O prefeito de uma cidade, quando concorre a uma reeleição, tem a máquina a seu favor. Isso significa, à grosso modo, ter influência, ter o funcionalismo público do lado e, claro, a oportunidade de mostrar serviço para o verdadeiro chefe de um município: o povo. Já era conhecido por todos a rejeição que a gestão atrapalhada de Dr. Adriano (DEM) sofria em Cabo Frio. Sem grandes obras durante o governo dele, com um verdadeiro furdunço nas contas públicas, greves em diversos setores e exonerações a perder de vista, a reeleição dele era mesmo improvável. Mas ser eleito prefeito e, na sequência, atingir 1,23% dos votos válidos, terminando em 8º lugar na disputa, não desperta outra reação senão a clássica capa do jornal O Globo que coloca, em letras graúdas: “Vergonha, vexame e humilhação”. Aliás, domingo foi dia do aniversário dele. O presente, seguramente, não agradou.

 

 

 

A MAGIA ACABOU

Após 16 anos, o ex-prefeito de Cabo Frio Marquinho Mendes (MDB) sofreu a primeira derrota em uma eleição ordinária para a Prefeitura cabo-friense da carreira. Eleito, pela primeira vez, em 2004, Marquinho se reelegeu em 2008 e venceu, também, a terceira vez que disputou o cargo, em 2016. Indeferido pela Justiça na corrida eleitoral deste, mesmo que os votos dele fossem considerados, Marquinho teria que se contentar com o amargo terceiro lugar na disputa, com singelos 8.928 votos - número quase cinco vezes menos que o do vencedor, José Bonifácio (PDT), e menos de 1/3 do atingido pelo 2º colocado, Doutor Serginho (REP). Ao que tudo indica a magia de Marquinho acabou e o magnético carisma do candidato que era sinônimo de eleição garantida parece ter jazido, mas não em paz.

 

 

 

O DESGASTE E A VITÓRIA

Em Arraial do Cabo, o prefeito Renatinho Vianna (REP) não conseguiu ser reeleito, perdeu a cadeira para o empresário Marcelo Magno (SD). Apesar de apostar todas as fichas no "bi", os últimos meses não foram bons para o chefe do executivo cabista. A presença do GAECO - que esteve várias vezes na cidade - causou enorme desgaste ao governo Renatinho. Quanto a Magno, vale destacar a presença de Andinho Brito (MDB) em sua campanha. O ex-prefeito cabista, na verdade, foi o grande mentor intelectual disso tudo, mostrou que ainda tem muito poder de articulação política e, seguramente, será grande influência na prefeitura de Arraial a partir de 2021. Ainda sobre a vitória de Marcelo Magno, quem comemorou muito, daqui de Cabo Frio, foi o empresário Otto Maciokas. Chegou a postar no seu status pedido de votos para MM. 

 

 

 

APANHOU MAS LEVOU

Em Armação dos Búzios, vale destacar a garra de Alexandre Martins (REP), prefeito eleito do balneário. De longe, foi o que mais sofreu ataque de fake news, apanhou muito. Somente na semana que precedeu o pleito foram quase 20. Nem no dia das eleições ele passou batido. Uma rádio comunitária da Armação chegou a anunciar que Alexandre estava sendo acusado de abuso de poder econômico, compra de votos e que foi até conduzido para a delegacia. Na mesma rádio falaram ainda que uma pesquisa de boca de urna o colocava em terceiro lugar e que Leandro do Bope (PDT) estava "nadando de braçada" em primeiro lugar. Completamente equivocados.

 

 

 

PULVERIZAÇÃO EM BÚZIOS

Desde o começo da corrida eleitoral, já se notava a quantidade desproporcional de candidatos à prefeitura de Armação dos Búzios. Como pode uma cidade de 30.600 eleitores ter 11 candidatos a prefeito? É realmente difícil de conceber que algo assim pudesse dar em outro resultado, se não o que foi concretizado pelas urnas na eleição de domingo (15). Dos 11 postulantes à prefeitura buziana, apenas três – Alexandre Martins (REP), Leandro (PDT) e João Carrilho (PRTB) – conseguiram atingir a marca acima de mil votos. Paulo Carvalho (DC), por exemplo, foi o último colocado na disputa e teve que se contentar em ter sido a escolha de apenas 13 eleitores. E aí que entra a questão: se Gladys Nunes (PSC), Henrique Gomes (PATRI) e Joice Costa (PP) não tivessem, por razões diversas, deixado a disputa, como será que ficaria esse resultado?

 

 

 

A ELEIÇÃO DOS RECORDES

As Eleições deste domingo (15) ficarão marcadas na história dos municípios de Iguaba Grande e Saquarema. Às 19h22, o TSE cravou a reeleição de Vantoil Martins (Cidadania) com a inédita marca no município de 11.957 votos. O Portal RC24h checou os registros eleitorais de 2000 para cá e identificou que, até então, a maior votação em Iguaba havia sido a de Grasiella Magalhães (PP) em 2012 (7.678 votos). Um pouco mais tarde, às 22h26, Manoela Peres (PODE) também teve a reeleição oficializada na capital nacional do surfe. Foram 34.960 votos, a mais votada de todos os tempos em Saquarema, desbancando Franciane Mota (MDB) que, em 2012, havia sido eleita com 28.784 votos. Há também de se notar o salto que Vantoil e Manoela deram em relação aos votos do primeiro mandato em que eles foram eleitos. Em outubro de 2016, quando foi escolhida para comandar Saquarema, Manoela recebeu 23.600 votos. A eleição dela em 2020 foi 48% superior à de quatro anos atrás. Vencedor da Eleição Suplementar de Iguaba Grande, em junho de 2019, “Toil” teve 5.118 votos. Logo, Vantoil recebeu, neste domingo, uma quantidade de votos 134% maior do que a que o elegeu para um primeiro mandato.

 

 

 

COM ANTECEDÊNCIA

Em São Pedro da Aldeia, o candidato a herdar a cadeira do prefeito Cláudio Chumbinho (PP) não levou - Dr Stefano (PP) ficou em terceiro lugar. Talvez até por isso Chumbinho já esteja querendo logo resolver o processo de transição. Tanto é, que nesta segunda-feira (16) ele postou um comunicado da Prefeitura onde parabeniza Fábio do Pastel (Podemos) e avisa que vai editar decreto para nomeação da Comissão de Transição de Governo "caso o candidato eleito queira apresentar seus membros".

 

 

 

 

COMUNICAÇÃO BEM-SUCEDIDA OU ESVAZIAMENTO DA BASE?

Grasiella Magalhães (PP) não podia ser candidata a prefeita de Iguaba Grande. Ela teve a candidatura indeferida, mas se manteve firme e forte em negar que jogaria a toalha. Lutou mesmo após a negativa da Justiça Eleitoral e entrou até com um pedido no TRE, foi quase até a última instância para garantir que seu nome constasse na urna. Mas o TRE negou e, às vésperas da eleição, Grasi anunciou que Ella não viria mais. O que chama atenção, porém, é que Grasiella - apesar de estar indeferida e ter renunciado a disputa - estava nas urnas, mas recebeu apenas 185 votos (1,01% do total), menos da metade da terceira colocada na disputa, Drª Margoth Cardoso (PT), que teve 381 votos (2,09%). E aí fica a reflexão: Grasiella conseguiu deixar claro para os apoiadores que ela não concorreria mais com um vídeo publicado a 2 dias do pleito ou ela simplesmente sequer tinha mais uma base de apoiadores sólida? A resposta para essa pergunta, porém, a gente não tem. Fica no ar.

 

 

 

A MULHER NÃO PARA

A prefeita reeleita de Araruama, Lívia de Chiquinho (PP), não tirou nem a segunda-feira seguinte a vitória de folga. Apesar de ter vencido, a chefe do Executivo segue trabalhando normalmente. Pelo telefone, o primeiro-cavalheiro, Chiquinho da Educação, que faz aniversário nesta terça-feira (17), chegou e comentou que pediu que a mulher tirasse cinco dias de folga para que eles pudessem viajar, fazer qualquer coisa. Segundo Chiquinho, ela disse um sonoro e redondo “não”. A própria Duquesa de Caxias. A comemoração do aniversário do marido da prefeita será nas ruas. Eles vão pegar um carro de som e sair pela cidade, agradecendo a votação expressiva obtida por Lívia.

 

 

 

ERRO DE ESTRATÉGIA

André Mônica (PL), assim como em 2016, não conseguiu retomar a prefeitura de Araruama. Apesar de ter tido mais votos nesta eleição do que a quatro anos, nem escolhendo vice de São Vicente – o policial militar Batista (REP) -, André conseguiu evitar que algumas urnas no distrito batessem 339 a 17 pró-Lívia. Durante a campanha, André acenou ao bolsonarismo e tentou surfar na onda. Colocou um policial na vice, convocou Dr Serginho (REP) para ajudar na campanha, posou com Eduardo Bolsonaro (PSL) para fotos e até recusou apoio do PT – que conseguiu eleger prefeitos em São Gonçalo, Maricá e Itaboraí. Tudo para para se alinhar ao bolsonarismo. Lutar contra Lívia, por si só, já parecia uma missão impossível. Mas quem sabe a estratégia também não pode ter sido equivocada e que, talvez, ele tenha até perdido mais votos com essa situação?

 

 

 

TRIO PARADA DURA

Ainda sobre os resultados das eleições para prefeito em toda Região dos Lagos, quem está feliz da vida é o advogado Pedro Canellas. Não só ele, como também os sócios Peter Samerson e Thiago Ferreira. O "trio da parada dura" saiu vitorioso em cinco das seis cidades onde advogaram para os candidatos a prefeito: Cabo Frio, Búzios, São Pedro, Iguaba e Araruama. Pedro se consolida como novo papa do Direito Eleitoral na Região dos Lagos e no estado. Acertou quase tudo. Embora o candidato dele não tenha vencido em Arraial, eles conseguiram viabilizar a candidatura de Melman, dada como impossível. Isso foi uma vitória e tanto. O trio merece parabéns.

 

 

 

REELEIÇÕES

Na área do Portal RC24h, que vai de Maricá a Macaé, pegando a Região dos Lagos inteira e Rio das Ostras, sete prefeitos tentaram a reeleição e cinco renovaram o mandato. Fabiano Horta (PT) teve 88,09% dos votos válidos das urnas de Maricá. Manoela Peres (PODE), em Saquarema, ficou com 78,52% dos votos. Eleito na Suplementar de 2019, Vantoil (Cidadania) teve 65,60% dos votos válidos de Iguaba Grande. A prefeita de Araruama, Lívia de Chiquinho (PP), terminou com 63,34% dos votos. Em Rio das Ostras, Marcelino da Farmácia (PV) também foi reeleito, com 51,24% dos votos válidos. Os não-eleitos foram Renatinho Vianna (REP), que teve 30,11% dos votos em Arraial do Cabo e terminou em 2º na disputa, e Dr. Adriano (DEM), que ficou com pífios 1,23% dos votos dos cabo-frienses, 8º lugar entre os onze candidatos.

 

 

 

CÂMARAS FEMININAS, MAS NEM TANTO

Em três cidades da área de cobertura do Portal RC24h, um paradoxo foi estabelecido. Araruama, Cabo Frio e São Pedro da Aldeia tiveram mulheres como os candidatos a vereador mais votados neste domingo (15). Em Araruama, Roberta Barreto (DEM) teve 207 votos a mais que o 2º colocado. Carol Midori (DC) recebeu 412 votos a mais que qualquer outro candidato à vereança em Cabo Frio. Enquanto isso, na Aldeia, Mislene de André (SDD) teve 332 votos a mais que Chiquinho de Dona Chica (PP), 2º mais votado da cidade. Apesar desse progresso, Araruama e Cabo Frio só tiveram uma outra mulher eleita, em cada. Os outros 15 eleitos nas duas cidades são homens. Já São Pedro da Aldeia não teve outra mulher eleita. Das dez cidades da nossa área, apenas nove mulheres foram eleitas para as Câmaras municipais, uma média inferior a uma mulher por cidade. Falta muito para a equidade de gênero ser conquistada e não tem forma melhor de atingi-la do que lutando como uma garota.

Categorias: Boca Miúda

Fotos da notícia




Outras notícias