Testemunha conta detalhes de tapa no rosto dado por secretário de Saúde de Cabo Frio em mulher com câncer

Vítima passou mal, desmaiou duas vezes e está internada no Rio para realização de exames; ela discutia com Iranildo Campos no gabinete dele nesta segunda (10) sobre confusão na UPA do Parque Burle no último sábado (8)


A primeira coisa que se pensa em marketing político quando o assunto é saúde é em atendimento humanizado, certo? Pois é, mas em Cabo Frio, isso parece ter ficado só na campanha para eleger prefeito. O Portal RC24h entrevistou uma mulher que diz ter presenciado o momento em que o secretário de Saúde do município, Iranildo Campos, deu um tapa no rosto de uma mulher de 52 anos, que sofre de câncer. Ela desmaiou na hora que sofreu a agressão, na tarde desta segunda-feira (10), no meio do gabinete de Iranildo, e foi encaminhada para uma clínica com princípios de infarto, tendo que ser transferida nesta terça (11) para um hospital na capital, para fazer exames que não são realizados na cidade.

“O secretário a mandou calar a boca e já veio para cima dela, apontando o dedo no nariz. ‘Você cala essa boca que quem manda nessa p... aqui sou eu’. Ela respondeu assim: ‘você vai me bater? ’. Quando ela falou, ele deu um tapa no rosto dela, no lado direito. Eu fiquei horrorizada. Ela arregalou o olho e desmaiou”, relata a testemunha.

A agressão teria acontecido em um momento em que Iranildo Campos e a vítima da agressão discutiam sobre a guerra de versões acerca da confusão com pancadaria que chocou quem estava na UPA do Parque Burle, na madrugada do último sábado (8). A mulher ouvida pelo Portal esteve nos dois momentos e contou detalhes do que aconteceu.

CONFUSÃO DE SÁBADO

No sábado, ela foi com o marido visitar a amiga, após um longo período sem terem contato. Foi então que a mulher sentiu falta de ar e foi levada pelo marido, pelo genro e pelo casal de amigos até a UPA.

Após levar chá de cadeira na unidade por muito tempo, o genro passou a entrar nas salas da UPA procurando por um médico, quando foi abordado pelos seguranças de maneira agressiva, com empurrões. Foi aí que a confusão começou.

Um dos funcionários da UPA passou a brigar com o rapaz, que revidou. Um dos outros acompanhantes deles foi até o local da confusão para saber o que estava acontecendo e chegou a ‘levar uma banda’ de um outro segurança, sendo derrubado ao chão. No fim, o grupo deixou a unidade sem receber atendimento.

Após vídeos dessa briga do fim de semana caírem na internet, o Portal RC24h procurou a Prefeitura de Cabo Frio, que enviou a seguinte nota:

"A Secretaria de Saude da Cabo Frio esclarece que  funcionarios da UPA do Parque Burle  foram vítimas de agressão praticadas por quatro pessoas na madrugada da deste sábado (08). Por volta das 3 horas da manhã,  três homens levaram uma mulher para ser socorrida após participarem de uma reunião social, com ingestão de bebida alcoólica. O grupo, que estava alterado, tentou burlar procedimento padrão de acolhimento de pacientes. No momento do atendimento da paciente , outros dois homens tentaram entrar no consultório médico e então um dos seguranças solicitou que apenas a paciente e um acompanhante continuassem no local. Nesse momento, o segurança foi agredido com um soco no rosto.  A paciente vendo a briga saiu do consultório e também agrediu o funcionário. Um segundo segurança que estava na Tenda de Triagem entrou na UPA para tentar defender o colega, quando os acompanhantes da pacientes ficaram ainda mais agressivos. Apenas nesse momento, os seguranças reagiram. Na tarde de sábado (08), o segurança, que foi ameaçado de morte, foi a delegacia de Cabo Frio para registrar boletim de ocorrência.

Outros funcionários da unidade que presenciaram o fato foram testemunhas. As imagens do circuito interno serão entregues para a polícia. A Prefeitura de Cabo Frio ressalta que não a paciente foi atendida imediatamente e que não havia falta de profissionais na unidade".

A PARTIR DAÍ

O grupo foi procurar a 126ª Delegacia de Polícia, em Cabo Frio, na última segunda para registrar um B.O. sobre a situação, mas foram informados de que esse tipo de denúncia deveria ser feita no fórum. Foi quando, orientados por uma advogada, o grupo foi até a secretaria de Saúde para buscar uma retratação de Iranildo.

A mulher relata que os dois casais foram até o gabinete do secretário de Saúde, que os recebeu, sem máscara e com apertos de mão, contrariando medidas de prevenção ao novo coronavírus, estabelecidas, inclusive, por decreto municipal.

 O grupo começou a explicar a versão deles da história. Iranildo, então, chamou um segurança e a responsável pela UPA, Drª Cenir Amorim, que recebeu a palavra e começou a falar sobre o que aconteceu.

Momentos antes de Iranildo bater na mulher, o marido da testemunha ouvida pelo Portal RC24h começou a rebater a Drª Cenir e recebeu um  “cala a boca” do secretário. Então, ele quis sair da sala, mas foi, inicialmente, barrado pelo segurança, que acabou cedendo e deixou que ele saísse.

A testemunha conta que mulher agredida pelo secretário também começou a refutar a Drª Cenir, quando foi repreendida por Campos e levou o tal tapa. O marido da vítima ficou revoltado e partiu para cima de Iranildo, sendo segurado pelos seguranças que estavam no local.

A mulher acordou do desmaio e eles foram embora da secretaria, indo até a DEAM, para prestar queixa. Ao chegar à delegacia, a vítima passou mal e desmaiou novamente, quando foi levada até a clínica, onde foi internada. A testemunha também nos contou que a mulher terá que ser levada ao Rio para realizar exames que não são feitos no município. Por causa dessa internação, a vítima ainda não prestou depoimento e, consequentemente, a ocorrência ainda não foi concluída.

VERSÃO DA PREFEITURA SOBRE A BRIGA DE SEGUNDA

A versão da Prefeitura de Cabo Frio sobre o que aconteceu no gabinete de Iranildo Campos é de que “o secretário recebeu em seu gabinete as pessoas envolvidas na confusão ocorrida na madrugada de sábado (8) na UPA do Parque Burle, quando um segurança foi agredido por parte dos presentes”.

A nota prossegue relatando que “o grupo foi recebido pelo secretário Iranildo Campos e a Diretora da unidade, Dra. Cenir Amorim. Após apresentar a sua versão, as pessoas se exaltaram e tentaram impedir a saída do secretário Iranildo Campos da sala. Na ação o Secretário foi agredido no braço e precisou se desvencilhar da agressão. Ele registrou uma ocorrência na delegacia de Cabo Frio”.

A reportagem encaminhou o relato da testemunha ao prefeito da cidade, Dr. Adriano Moreno (DEM), que respondeu, por ligação, que iria até a secretaria de Saúde, pessoalmente, para ouvir Iranildo Campos e apurar a situação.

VEREADORES REPERCUTEM CONFUSÃO

O que aconteceu no gabinete de Iranildo provocou reações dos parlamentares de Cabo Frio na sessão da Câmara desta terça-feira (11). O presidente da Comissão de Direitos Humanos do Legislativo cabo-friense, Rafael Peçanha (Cidadania), se comprometeu a abrir um procedimento para apurar o caso.

“Quero declarar aqui que nossa comissão tomará providências no sentido de ouvir os dois lados: a família e o secretário para abrir um procedimento nesse sentido. Se esse procedimento provar que de fato o secretário agiu ao contrário do que sua função deveria exercer, ou seja, agredindo uma cidadã, uma mulher. Vamos exigir do prefeito Dr. Adriano que faça uma coisa que já deveria ter feito há muito tempo, que é mandar embora esse secretário de saúde”, pontuou Peçanha.

“O histórico do Dr. Iranildo mostra para a gente que é mais fácil confiar na família do que nele nessa versão, embora seja necessário ouvir os dois lados. Entretanto, precisamos fazer essa averiguação para ter certeza. Eu tendo a não acreditar no secretário. É preciso mudar o modelo, mudar a gestão, para que Cabo Frio volte a ter respeito. Sempre disse que essa nomeação (de Iranildo) cheirava a acordo com o governador e com a máfia das OSs”, finalizou.

Também membro da comissão e líder da oposição na Câmara, Letícia Jotta (PROS), defendeu o diálogo com o grupo que diz ter sido tratado de forma rude por Iranildo.

“Pelo sim, pelo não, se foi realmente dado um tapa ou se não foi, que reportem a essas famílias que foram agredidas que eu gostaria de ouvi-las. E ouvirei também os funcionários. A gente tem que dar o direito às duas partes”, ponderou.

Jefferson Vidal (Avante) também usou seu tempo na tribuna para comentar o caso, dizendo “que quando a gente acha que as coisas vão melhorar, a gente acaba se surpreendendo”.

Segundo Vidal, “vários funcionários têm me procurado reclamando de perseguição dentro da secretaria de Saúde, falam que estão vivendo numa ditadura. As pessoas estão com medo, vivendo em clima de mordaça”.

O parlamentar ainda pediu que Dr. Adriano tome alguma atitude. “[O prefeito] ainda tem chance de fazer alguma coisa, procura ouvir e saber a verdade. Saiba o que está acontecendo e tome providência”, intimou.

Já Aquiles Barreto (PT) alegou que ainda não ouviu Iranildo sobre a situação, mas “se for verdade, a Câmara tem que se posicionar em peso e convocar o secretário aqui para, depois, a gente poder tomar um posicionamento. Na minha avaliação, não pode ser um secretário”, concluiu.

ATAQUES A IMPRENSA

Outro ponto levantado durante a discussão no gabinete de Iranildo, segundo a testemunha ouvida pelo RC24h, foi um ataque que ele fez a imprensa. Segundo a mulher, ao mostrar o vídeo da confusão de sábado para o secretário, ele chegou a afirmar que não adianta falar nada para a “mídia mentirosa”, muito menos a “sapatona da Renata Cristiane”.

Sobre isso, o prefeito, Dr. Adriano, disse que repudia qualquer tipo de palavras de baixo calão ou de ofensa.

Categorias: Cabo Frio Polícia

Fotos da notícia




Outras notícias