CULTURA / Cabo Frio e Búzios falam sobre repasses da Lei Aldir Blanc

Fundos do Governo Federal objetivam ajudar profissionais e organizações culturais que perderam renda em razão da crise do coronavírus


Os município de Cabo Frio e Armação dos Búzios falam sobre a Lei Aldir Blanc, uma ação emergencial do Governo Federal objetiva ajudar profissionais e organizações culturais que perderam renda em razão da crise do coronavírus.

No balneário búziano, o Secretário de Turismo e Cultura, Armando Ehrenfreund, foi convidado a participar da sessão legislativa da Câmara Municipal na quinta-feira (2), para informar a população e tirar dúvidas dos vereadores, referentes a temas pertinentes da pasta, entre eles, a lei.

O secretário explicou como a secretaria está se organizando para receber o repasse da Aldir Blanc que prevê R$ 3 bilhões da União, destinados a estados e municípios para ações emergenciais de apoio ao setor cultural, afetado pela pandemia da Covid-19. “Esse repasse é feito pelo fundo municipal de cultura. Mas como grande parte dos municípios não possuem o fundo, será criado um crédito extraordinário.”, explicou.

Segundo Armando, Búzios terá o repasse de R$249 mil reais da Lei Aldir Blanc, dos quais 20% devem ser destinados para editais, e 80% distribuído para auxílio dos cadastrados da área artística, seguindo critérios. Parte do recurso também poderá ser destinado para espaços culturais, se houver sobra. “Por Indicação da Câmara de Vereadores, nós criamos uma plataforma digital de cadastro dos artesãos, artistas e agentes culturais. Nós temos hoje 454 pessoas cadastradas.”, acrescentou.

Já em Cabo Frio, a Secretaria de Cultura vai realizar na segunda-feira (6) uma live para esclarecimentos sobre a lei Aldir Blanc. O encontro virtual acontecerá às 20h no perfil da Secult no Facebook.

Os convidados para a live são José Facury Heluy, Conselheiro titular Estadual de Políticas Culturais (CEPC- RJ) pela Baixada Litorânea e Carlos Henrique assessor de Políticas Públicas da Fundação Rio das Ostras de Cultura. A mediação será feita pelo Conselheiro suplente Estadual de Políticas Culturais (CEPC- RJ) e diretor de departamentos do TMCF, Marcio Nascimento, e pela jornalista e assessora de impressa da Secult, Mariana Ricci.

“Queremos levar o conhecimento completo sobre a lei para todos os artistas de Cabo Frio. Este será um espaço de interação para o esclarecimento de dúvidas e que dessa maneira,  possamos ajudar a classe artística em geral”, comentou Marcio Nascimento.

Categorias: Política Cultura

Fotos da notícia




Outras notícias