BOCA MIÚDA: OS BASTIDORES DA POLÍTICA NA REGIÃO DOS LAGOS NESTA QUARTA-FEIRA (25)

Coronavírus: As reações dos prefeitos da Região dos Lagos e da Baixada Litorânea ao pronunciamento de Bolsonaro, que voltou a classificar a pandemia como "uma gripezinha", alegando que as medidas são desnecessárias; e a atualização das medidas adotadas nas cidades


FLEXIBILIZAÇÃO NO COMÉRCIO?

Parte do comércio de Arraial do Cabo poderá abrir suas portas a partir da semana que vem, com funcionamento em meio expediente, caso a pandemia continua controlada por lá. A informação foi dada pelo prefeito da cidade, Renatinho Vianna (Republicanos), que na tarde desta quarta-feira (25) deu entrevista ao Portal RC24h, no #15MinutosNoRC, e à rádio Costa do Sol FM. O município foi o primeiro a adotar as medidas mais duras no combate ao coronavírus e, talvez por isso, seja o que menos tem casos suspeitos. Renatinho frisou que as demais determinações continuam a vigorar. "Continuarei defendendo o que acho correto, até porque não estou aqui para agradar partido, nem governador, nem presidente, mas fazer o melhor pela coletividade. A prioridade é o cidadão cabista", completou. Na entrevista, deixou claro que não está "nem um pouco preocupado" com o impacto de suas medidas em relação ao pleito eleitoral, quando tentará a reeleição. "Meu foco hoje é proteger a população de Arraial (...) Nunca administramos com facilidade, mas continuamos na luta, as perspectivas são boas". Clique aqui para ler a matéria e conferir o vídeo da entrevista na íntegra.

 

 

 

'ESTOU AQUI TRABALHANDO'

Em Cabo Frio, o prefeito Dr Adriano (DEM), que é médico, foi para a rede social logo após a fala do presidente da República. Reafirmou o compromisso com a população e pediu, mais uma vez, que os munícipes mantenham a quarentena. Disse que não é momento de politicagem e lembrou que é responsabilidade de cada um lutar contra o coronavírus. "Estou aqui trabalhando e todos os órgãos competentes e responsáveis estão trabalhando para que você fique em casa. Dessa maneira estamos prevenindo a disseminação do Coronavírus", afirmou. O município tem 12 casos suspeitos.

 

 

 

 

'UMA VIDA NÃO TEM PREÇO'

Quem também foi para a rede social reforçar a orientação do isolamento social como melhor remédio frente à disseminação do coronavírus, foi o pré-candidato a prefeito de Cabo Frio José Bonifácio (PDT). "Nessa hora em que o mundo todo assiste a milhares de mortes pelo coronavírus, eu te peço: fica em casa, fica em casa!" Veja o vídeo:

 

 

 

 

COBROU PRIORIDADE

Ainda em Cabo Frio, o vereador e líder da oposição, Rafael Peçanha (PDT), notificou o secretário de Saúde do município, Iranildo Campos, cobrando prioridade no fornecimento de medicamentos para doenças crônicas e raras, que necessitem de medicamentos de uso contínuo. "Manter esses pacientes com suas doenças controladas é essencial para não congestionar o gargalo de entrada no sistema de saúde em tempos de covid-19. A insulina é um exemplo. Muitos diabéticos têm reclamado de falta de fornecimento e fazem parte do grupo de risco do coronavírus", explicou o parlamentar.

 

 

 

'MÍSÉRIA PODE MATAR MAIS'

Seguidor fiel do presidente Bolsonaro, o deputado cabo-friense Dr Serginho (Republicanos) - que inclusive foi acusado de oportunismo (por conta do projeto de redução em 50% do salário dos parlamentares), não disse que é contra a quarentena, mas afirmou que a crise do coronavírus é algo muito sério, e que a consequência dessa crise na saúde trará outra mais drástica ainda: a crise econômica. "A gente precisa ter equilíbrio nas ações políticas que vamos tomar, porque a miséria que pode se instalar pode gerar muito mais mortes do que a própria crise do coronavírus. Em relação ao pronunciamento do presidente da República, ele teve um tom de tentar minimizar e mostrar que o remédio que está sendo dado neste momento pode trazer prejuízos maiores do que a própria doença. “O meu ponto de vista é que há uma preocupação muito grande com a questão econômica. Tenho trabalhado muito para tentar minimizar os efeitos dessa crise para as pessoas que não vão ter o que comer. A preocupação é grande, claro que temos que colocar a vida acima de tudo, temos que seguir as diretrizes do Ministro da Saúde, mas a gente não pode entrar em pânico. Mas entendo que é um caso grave de saúde pública", afirmou à coluna.

 

 

 

DETERMINAÇÕES MANTIDAS

Em Iguaba Grande, o prefeito Vantoil Martins (Cidadania) divulgou nota oficial reforçando que continuam mantidas todas as determinações de prevenção e combate ao coronavírus previstas nos decretos. A cidade possui, atualmente, seis casos suspeitos. "Para nós, nada é mais importante do que preservar vidas e, neste momento, entendemos que o isolamento social é, sim, a melhor forma de evitar a transmissão do Covid-19, porque, mesmo fortes e saudáveis, podemos levar essa pandemia para dentro de nossas casas". Na cidade está proibida a permanência de pessoas na faixa de areia da orla e praças. Também estão suspensos atendimentos presenciais ao público no comércio, entre outros, conforme decreto. E nesta quarta (25), a coordenação do Programa de Saúde Mental criou um canal direto para atendimentos presenciais, em casos de emergência. Quatro psicólogos atuarão em regime de plantão (presencial no Caps, e home office) junto com enfermeiros, assistentes sociais e psiquiatras. O programa é aberto à população, com prioridade para pacientes da Saúde Mental e profissionais de Saúde.

 

 

 

REITEROU DETERMINAÇÃO

O prefeito de São Pedro da Aldeia, Cláudio Chumbinho (PP) reafirmou, nesta quarta-feira (25), o propósito em seguir as determinações do governo estadual, mantendo o comércio fechado no município e solicitando a todos os aldeenses que fiquem em casa, respeitando o isolamento social, como forma de combate ao coronavírus. Decretos municipais regulamentam o Gabinete de Crise e suas ações, que incluem as restrições para o funcionamento do comércio. Os empresários devem cumprir as determinações evitando abrir suas lojas na cidade. Apenas os serviços essenciais, que estão autorizados devem continuar, respeitando as novas normas para funcionamento. "Reitero minha determinação em seguir o decreto estadual para o combate ao coronavírus e agradeço a todos os servidores que estão nas ruas trabalhando pela saúde, abastecimento e segurança dos aldeenses. Ao cidadão, que ainda não se convenceu, faço um apelo: fique em casa, proteja sua família! Ficar em casa é a melhor forma de combater o coronavírus e salvar muitas vidas!", afirmou Chumbinho. O município aldeense tem cinco casos suspeitos.

 

 

 

MAIOR NÚMERO DE SUSPEIÇÕES

Em Armação dos Búzios, cidade da Região dos Lagos com o maior número de casos suspeitos - 41, o prefeito André Granado (MDB) disse que vai manter as determinações sanitárias. Nesta quarta (25), André continuou à frente da vacinação contra a gripe para os idosos. Ainda na noite de terça (24), poucas horas após o discurso de Bolsonaro, o chefe do executivo buziano postou um vídeo no Facebook e reforçou que todas as unidades de saúde estão fazendo a triagem do coronavírus:

 

 

 

 

SEM CENTRO DE TRIAGEM

Em Araruama, a segunda cidade da Região com maior número de casos suspeitos da Covid-19 - 26 até o momento, a prefeita Lívia de Chiquinho (PP) reafirmou que vai continuar o planejamento que já vinha adotando, com medidas sanitárias para evitar a propagação do coronavírus. "Mais uma vez peço à população: fique em casa". Entretanto, essa mesma população está cobrando da chefe do executivo municipal onde funciona o Centro de Acolhimento e Triagem, que ainda não foi informado. Na manhã desta quarta (25), ela acompanhou o trabalho das equipes que fazem higienização dos logradouros públicos.

 

 

 

 

DOAÇÃO DE CESTAS

Em Saquarema, a prefeita Manoela Peres (DEM) encaminhou projeto de lei à Câmara de Vereadores que fala da doação de cestas básicas no município. Serão 12 mil famílias beneficiadas durante três meses. "Conto com a colaboração de todos para a aprovação deste Projeto, que beneficiará tantas famílias neste momento crítico que estamos vivendo", disse. O município tem um caso suspeito.

 

 

 

 

CORTE NO ORÇAMENTO

Em Rio das Ostras, um dia após uma medida do prefeito da cidade, Marcelino Borba (PV), que anunciou a redução de 25% do seu salário, a Câmara de Vereadores aprovou projeto de lei cortando R$ 2 milhões no orçamento da Casa para este ano. O corte – que vai impactar nos subsídios dos vereadores e nos salários dos funcionários comissionados – foi feito para ajudar no equilíbrio das finanças do município durante a crise criada pela propagação do coronavírus.

 

 

 

BUSCA ATIVA

Em Macaé, o prefeito Dr. Aluízio (PSDB), que é médico cirurgião, usou a conta do Twitter para informar que vai continuar com as medidas sanitárias, alinhadas com governo do Estado. Em um tuíte curto, de cinco palavras, ele resumiu que seguirá convicto executando planejamento conforme orientações da OMS sobre pandemia. Na cidade também continuam os trabalhos de desinfecção nas ruas.

 

 

 

REDUÇÃO DE IMPACTO

Em Maricá, onde o prefeito Fabiano Horta (PT) vai colocar em prática, a partir de abril, um pacote de medidas no valor de R$ 80 milhões para fomentar a economia do município, as medidas de prevenção também continuam. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Igor Sardinha (à dir.), reafirmou nesta quarta (25) o compromisso do governo com a série de medidas anunciadas para reduzir o impacto econômico causado pela pandemia do Covid-19. As ações abrangem as famílias mais socialmente vulneráveis, os alunos da rede municipal de ensino e os micro e pequenos empresários, bem como os trabalhadores autônomos e informais.

 

 

 

PROJETOS SOBRE CORONAVÍRUS

Nove dos dez projetos de lei relacionados à pandemia de coronavírus que estavam em pauta na Alerj nesta quarta-feira (25), receberam emendas e serão votados na próxima semana. As propostas foram discutidas pelos 70 deputados, com 29 parlamentares participando de forma remota por conta da quarentena (confira aqui a lista completa dos projetos que foram debatidos). Um dos projetos, o 460/19, que trata de educação domiciliar, recebeu parecer da Comissão de Constituição e Justiça pela baixa em diligência à secretaria de Estado de Educação e ao Conselho Estadual de Educação. Ou seja, a Alerj fará uma consulta aos dois órgãos, que farão uma análise da proposta antes dela voltar à pauta.

 

 

 

MUTIRÃO HUMANITÁRIO

O governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), disse que discorda do presidente Jair Bolsonaro sobre o fim do confinamento por causa da pandemia de coronavírus e pediu que as pessoas fiquem em casa. Witzel, no entanto, afirmou que além da questão sanitária, há uma crise econômica em decorrência da pandemia do coronavírus. Por isso, anunciou como primeira medida um mutirão humanitário, com distribuição de cestas básicas para um milhão de famílias, em sua maioria chefiadas por mulheres. Será beneficiado quem estiver na extrema pobreza, na pobreza e pessoas de baixa renda (quem recebe abaixo de meio salário mínimo). "Na primeira fase, vamos atender famílias da capital, da Baixada Fluminense, São Gonçalo e Itaboraí. A fome não espera", afirmou, em entrevista coletiva na manhã desta quarta (25), no Palácio Guanabara.

Categorias: Boca Miúda

Fotos da notícia




Outras notícias