COLUNISTA RC24H / AQUILES BARRETO: Acidentes previsíveis

''Qual motorista de Cabo Frio nunca teve um prejuízo ao cair num dos milhares de buracos existentes da cidade? Eu mesmo já perdi as contas de quantos pneus furados. Mas, ruim mesmo, é quando o prejuízo deixa de ser material e coloca em risco outro bem que é muito mais valioso: a vida''


Qual motorista de Cabo Frio nunca teve um prejuízo ao cair num dos milhares de buracos existentes da cidade? Eu mesmo já perdi as contas de quantos pneus furados. Mas, ruim mesmo, é quando o prejuízo deixa de ser material e coloca em risco outro bem que é muito mais valioso: a vida. Cabo Frio tem colecionado vários casos como este ao longo do último ano. Um dos últimos foi com Jéssica, filha dos empresários Vicente e Ida Duque: ela saía do trabalho, no Instituto Federal Fluminense (IFF, antigo Centrinho) quando se acidentou num dos vários buracos na Estrada do Guriri: estava de moto, não conseguiu desviar de um deles, caiu e teve várias fraturas. Está internada no Hospital Santa Izabel, onde precisou passar por cirurgia, e agora aguarda transferência para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), Caju, no Rio, devido à gravidade dos ferimentos.

Na mesma pista, no mês de setembro, um motociclista ficou ferido após ser atingido por um carro que tentou desviar de um buraco e acabou acertando a moto que vinha no sentido contrário. Na época o DER anunciou que faria manutenção asfáltica na rodovia, no entanto, ficou apenas no discurso porque os buracos continuam por lá, e causando novos acidentes. Apesar do susto, o motociclista, que não teve o nome revelado, teve apenas ferimentos leves.

Mesma sorte não teve o jovem Carlos Eduardo, de 17 anos. No dia 6 de outubro ele morreu por causa de um buraco na Avenida América Central, sentido São Cristóvão, próximo ao Assaí: também de moto, ele perdeu o controle ao cair num dos vários buracos da pista e atingiu um poste, morrendo na hora.

Para mostrar que o problema não é recente, vamos voltar um pouco mais no tempo, no dia 11 de dezembro do ano passado: o Corpo de Bombeiros foi chamado para prestar socorro a duas vítimas de queda de motocicleta perto da Estrada da Integração, em frente à Escola Municipal Patrícia Azevedo. A moto caiu num buraco. Com o impacto o guidão quebrou, levando os ocupantes ao chão. O motociclista teve suspeita de fratura em uma das pernas enquanto o carona sofreu algumas escoriações. Na época os moradores lamentaram o acidente e lembraram as várias solicitações de reparos para aquela região, mas todas em vão.

O que percebemos ao analisar todos esses casos é que 100% deles seriam evitados se houvesse um mínimo de investimento na infraestrutura da cidade, tanto por parte do governo municipal quanto do estadual, uma vez que não são apenas as rodovias que encontram-se esburacadas, mas também as ruas internas. E o que mais assusta é percebermos que nenhum desses acidentes, nem mesmo as vidas perdidas em cada um deles, foi capaz de sensibilizar os dois governos para providenciar o fim dos buracos.

 

*Aquiles Barreto é vereador em segundo mandato (2013 a 2016 / 2017 a 2020), ex-presidente da Câmara Municipal de Cabo Frio (2017/2018) e ex-prefeito interino do município (maio a julho de 2018). É formado em Administração pela Universidade Estácio de Sá, e em Comércio Exterior pela UFRJ.

Categorias: Opinião

Fotos da notícia




Outras notícias